Senador critica gestão estadual, durante discurso em igreja batista

Senador critica gestão estadual, durante discurso em igreja batista

Atualizado: Quarta-feira, 29 Setembro de 2010 as 2:19

O senador Hélio Costa (PMDB) fez campanha velada, na manhã de ontem, na Igreja Batista Getsêmani, no Bairro Dona Clara, na Região da Pampulha, em BH. Em discurso a pastores, ele criticou a atual gestão estadual e apresentou seu projeto de governo. O Código Eleitoral, no artigo 37 da Lei 9.504 / 97, proíbe propaganda eleitoral de qualquer natureza em templos religiosos, considerados bens comuns pela legislação. O Tribunal  Regional Eleitoral (TRE-MG), por meio da assessoria, afirmou que não pode se manifestar sobre o assunto, porque "depende da interpretação da Corte Eleitoral", que só avalia a situação se receber reclamação.

Durante o período das eleições, em igrejas, líderes religiosos também não podem manifestar a preferência por um ou outro político. Em encontro de pastores, nos moldes de um culto evangélico e presenciado por fiéis, Hélio Costa foi chamado ao púlpito pelo pastor Jorge Linhares para discursar e receber a bênção. "Quero agradecer mais uma vez, porque esta é a segunda vez que venho participar da reunião de vocês. Quero entregar nosso programa, que tem o título Desenvolvimento e cidadania. O nosso foco é o social", afirmou o candidato

"O que está faltando hoje em Minas é um governo que se preocupe com as pessoas. Não vale só pensar em obras. Isso é fácil fazer. Gastou-se R$ 1,2 bilhão para fazer o Centro Administrativo. O orçamento de Minas permite isso. Gostaria de ver R$ 1,2 bilhão gasto com as pessoas, com saúde, com educação, com segurança".

O pastor Jorge fez dois pedidos: estradas e pontes mais seguras e acesso de pastores ao capelão da Polícia Militar. "Você promete ter um espaço para nós de primeira linha?", questionou Jorge, ao que Hélio respondeu: "Com certeza". Em seguida, o pastor afirmou que "o homem será julgado pelas suas palavras". Pediu a Hélio que se ajoelhasse e, aos fiéis e pastores, que ficassem de pé com as mãos para o alto. "Deus abençoe suas propostas e seu desejo de servir", orou. No telão da igreja, havia transmissão simultânea do encontro e a indicação do site do candidato ao governo. Os pedidos de votos feitos em igrejas sujeitam seus autores a multas que vão de R$ 2 mil a R$ 25 mil.

Erro no ar Advogados da coligação Todos juntos por Minas, do candidato Hélio Costa, estudam medida judicial contra um erro que julgam ter prejudicado a campanha. No programa eleitoral de televisão da noite de segunda-feira, foi veiculado, por engano, o mesmo material apresentado na sexta-feira. Em nota, a coordenação da campanha diz supor a "ocorrência de práticas eticamente condenáveis". A Rede Record, responsável pela geração do programa, creditou a um "engano por má interpretação dos mapas de mídia" e se colocou à disposição para corrigir o que chamou de "lapso". (AA)

O senador Hélio Costa (PMDB) fez campanha velada, na manhã de ontem, na Igreja Batista Getsêmani, no Bairro Dona Clara, na Região da Pampulha, em BH. Em discurso a pastores, ele criticou a atual gestão estadual e apresentou seu projeto de governo. O Código Eleitoral, no artigo 37 da Lei 9.504 / 97, proíbe propaganda eleitoral de qualquer natureza em templos religiosos, considerados bens comuns pela legislação. O Tribunal  Regional Eleitoral (TRE-MG), por meio da assessoria, afirmou que não pode se manifestar sobre o assunto, porque "depende da interpretação da Corte Eleitoral", que só avalia a situação se receber reclamação.

Durante o período das eleições, em igrejas, líderes religiosos também não podem manifestar a preferência por um ou outro político. Em encontro de pastores, nos moldes de um culto evangélico e presenciado por fiéis, Hélio Costa foi chamado ao púlpito pelo pastor Jorge Linhares para discursar e receber a bênção. "Quero agradecer mais uma vez, porque esta é a segunda vez que venho participar da reunião de vocês. Quero entregar nosso programa, que tem o título Desenvolvimento e cidadania. O nosso foco é o social", afirmou o candidato

"O que está faltando hoje em Minas é um governo que se preocupe com as pessoas. Não vale só pensar em obras. Isso é fácil fazer. Gastou-se R$ 1,2 bilhão para fazer o Centro Administrativo. O orçamento de Minas permite isso. Gostaria de ver R$ 1,2 bilhão gasto com as pessoas, com saúde, com educação, com segurança".

O pastor Jorge fez dois pedidos: estradas e pontes mais seguras e acesso de pastores ao capelão da Polícia Militar. "Você promete ter um espaço para nós de primeira linha?", questionou Jorge, ao que Hélio respondeu: "Com certeza". Em seguida, o pastor afirmou que "o homem será julgado pelas suas palavras". Pediu a Hélio que se ajoelhasse e, aos fiéis e pastores, que ficassem de pé com as mãos para o alto. "Deus abençoe suas propostas e seu desejo de servir", orou. No telão da igreja, havia transmissão simultânea do encontro e a indicação do site do candidato ao governo. Os pedidos de votos feitos em igrejas sujeitam seus autores a multas que vão de R$ 2 mil a R$ 25 mil.

Erro no ar Advogados da coligação Todos juntos por Minas, do candidato Hélio Costa, estudam medida judicial contra um erro que julgam ter prejudicado a campanha. No programa eleitoral de televisão da noite de segunda-feira, foi veiculado, por engano, o mesmo material apresentado na sexta-feira. Em nota, a coordenação da campanha diz supor a "ocorrência de práticas eticamente condenáveis". A Rede Record, responsável pela geração do programa, creditou a um "engano por má interpretação dos mapas de mídia" e se colocou à disposição para corrigir o que chamou de "lapso". (AA)

veja também