Servidores do escritório adventista em Brasília constroem igreja em Vila Boa

Servidores do escritório adventista em Brasília constroem igreja em Vila Boa

Atualizado: Sexta-feira, 11 Junho de 2010 as 10:24

Vinte funcionários da sede administrativa da Igreja Adventista no planalto central (APLAC) trocaram a rotina do escritório pelo canteiro de obras na quinta-feira, 06 de junho. O desafio era auxiliar no erguimento da primeira Igreja Adventista da cidade de Vila Boa (GO). "Eu ajudei a levantar o muro e carreguei entulhos no carrinho para o aterro", detalha o contador, Everton Souza. Para ele a atividade não foi apenas um escape à rotina, mas um exercício espiritual. "A igreja é a habitação de Deus. Fazer parte dessa construção me deixa muito feliz porque não tem um motivo egoísta por trás, é uma ação missionária. Ganhamos a satisfação de trabalhar para Deus", afirma.

Quem trabalha nesta obra há quase um ano é Antônio Pereira, que ficou maravilhado. "Eu nunca vi uma mobilização como essa. A igreja está realmente unida não só no evangelho, mas na expansão dessa mensagem." Segundo ele o trabalho realizado em um dia pela equipe da APLAC levaria, normalmente, 15 dias para ser concluído. "Veio bastante gente, aqui somos poucos", diz.

A ideia da mobilização nasceu no coração do líder da Igreja Adventista no planalto central, Jairo Torres. "Já participamos da ação evangelística, quando estivemos no Impacto Esperança em contato com a população da cidade. Agora é hora do trabalho braçal. Essa oportunidade valoriza a igreja, que recebe o nosso apoio financeiro, espiritual e nosso suor, afinal estamos literalmente molhando a camisa", ele conta.

Para o pastor da região de Vila Boa, João Marcos Bernardi, a ação é surpreendente. "Eu nunca tinha visto uma equipe de Associação envolvida assim. Isso é gostoso para nós. Vemos que eles nos apoiam não só à distância, mas fazendo junto." Essa foi a segunda etapa do projeto em Vila Boa e ainda tem mais. Em algumas semanas o município recebe uma equipe do Calebe, jovens que dedicam as férias para um desafio missionário longe de casa.

"Essa experiência marca a vida de cada servidor porque é uma experiência totalmente diferente e de profundo significado", afirma Torres. "Amanhã no escritório já vai ser diferente. Os músculos poderão estar doendo, mas com certeza serei melhor que ontem", confirma Everton.

veja também