Só os loucos sabem!

Só os loucos sabem!

Atualizado: Terça-feira, 26 Março de 2013 as 8:54

 

“Eu me lembro de tudo, irmão, eu estava lá também;
 
Um homem quando está em paz não quer guerra com ninguém
Eu segurei minhas lagrimas pois não queria demonstrar a emoção,
Já que estava ali só pra observar e aprender um pouco mais sobre percepção
 
Eles dizem que é impossível encontrar o amor sem perder a razão, 
Mas pra quem tem o pensamento forte, o impossível é só questão de opinião
E disso, os loucos sabem
Só os loucos sabem.”
 
chorãoCreio que todos nós fomos surpreendidos na quarta feira 06/03 com a notícia da morte do Chorão, vocalista e líder do Charlie Brown Jr. Os que eram fãs, como eu, com certeza passaram a quarta feira pensativos, um pouco atônitos, meio que não acreditando que isso aconteceu. Eu passei assim a quarta, e ainda me lembro bem daquela quinta feira, em que ele foi sepultado.
 
Bom, antes que alguém pense alguma coisa, minha intenção nesse post não é prestar nenhum tipo de homenagem póstuma ao Chorão, muito menos fazer qualquer tipo de julgamento sobre sua vida ou a forma como morreu. Afinal, estou aqui pra aprender, não pra julgar.  Quem é que pode nos julgar? Só Deus pode nos julgar! 
 
Desejo fazer uma breve reflexão sobre um trecho de uma música que ele escreveu, o que me pareceu um momento de extrema lucidez em que ele chegou muito perto de entender o que Deus realmente quer de nós. Talvez ele tenha entendido.
 
Li  num email que essa música foi feita depois de uma visita que Chorão fez a Bola de Neve Church. Faz todo o sentido quando pensamos em alguns versículos bíblicos em contraste com o que Chorão escreveu.
 
Paulo diz que quando a igreja cultua, de forma ordenada e solene, a glória de Deus é manifesta aos ímpios que ali estão. Jesus disse que o mundo veria em nós, no nosso relacionamento uns com os outros, nossa força junta na celebração ou na dor, o grande amor do Pai. Quando nós estamos juntos num mesmo espírito e de coração, as lágrimas vem aos que observam e eles aprendem melhor sobre a nossa percepção. O nosso modo de ver o mundo, uma vez que temos, a mente de Cristo, uma mente que se transforma a cada dia, contagia e lança luz, e num estalo, temos uma percepção como se estivéssemos vendo pela primeira vez. Não é assim, de repente você dá de cara com uma verdade bíblica e as coisas fazem sentido? É assim também com os que estão ali também só pra observar.
 
O que esse trecho me ensina, nessa primeira parte, é que nós devemos insistir. Devemos insistir em nossos amigos loucos. Nossos amigos que estão, aos nossos olhos, longe de Deus e de entender Seu amor. Eles tem que experimentar a comunhão, eles tem que observar e aprender a nossa percepção de quem vive realmente em paz. E nós devemos ser esse “irmão” que” estava lá também”, nós devemos caminhar com os que andam longe, e eles perceberão a glória de Deus em nosso meio!
 
Outra coisa que essa primeira parte me ensina é que nós devemos insistir uns com os outros, nós devemos cuidar uns dos outros. O “eu me lembro de tudo” precede um “irmão”. Você quer ter história pra contar sobre Deus? Esteja lá também.
 
Agora vem a parte mais linda da música. Eu creio que a glória de Deus está manifesta no ser humano, ele crendo ou não. Somos todos imagem e semelhança de Deus, e todas as nossas capacidades e habilidades exaltam a glória do Criador. A diferença é o uso que fazemos delas.
 
Olhe esse versículo: Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus. (1Coríntios 1:18). Agora pense nos versos: eles dizem que é impossível encontrar o amor sem perder a razão, mas pra quem tem o pensamento forte, o impossível é só questão de opinião, e disso os loucos sabem. Só os loucos sabem!
 
Sério, eu nem precisaria continuar escrevendo. Chorão sacou qual é a do evangelho.
 
A palavra da cruz é loucura pros que não crêem porque ela quebra toda a razão humana. A razão dos judeus que queriam um Cristo vitorioso, a razão dos romanos que viram um Cristo silencioso perante sua condenação, a razão dos gregos que não conseguiam acreditar no Verbo encarnado. O amor só é encontrado por quem, na simplicidade de uma criança, aceita o Deus-homem, o Leão-cordeiro, o Amor que encobre uma multidão de pecados. Pra quem não crê, é impossível encontrar o amor sem perder a razão. É ilógico, e nós não conseguimos aceitar outro modo além do nosso. Pra quem crê, ou “tem o pensamento forte” o impossível é questão de opinião porque para Deus, NADA é impossível!
 
Uma vez, pregava pra uma amiga da escola, e ela me disse assim: então quer dizer que Jesus veio, morreu e ressuscitou por todos aqueles que vieram antes e depois dele, e eu só preciso aceitar ele pra ser salva pra sempre, sem precisar fazer nada de bom ? E qualquer um pode ser salvo?
Respondi empolgadíssimo, achando que ela iria se converter: SIM!!
Ela me disse: Não posso aceitar isso. Isso é loucura.
 
O amor de Deus não cabe na nossa lógica. É preciso ser criança e pensar invertido. É preciso aceitar o contrário, o avesso. É preciso entender que a graça dispensa e despreza todas as suas melhores ações. É preciso estar lá também. É preciso ser irmão. É preciso estar em paz com Deus. É preciso deixar as lágrimas subirem quando percebemos. É preciso crer no impossível. É preciso saber. É preciso ter o pensamento forte, pois o impossível é só questão de opinião. Na de Deus, não há.
 
E disso, os loucos sabem.
 
Só os loucos sabem.
 
 
- Luiz Fernando
via o2.org.br
 

veja também