Sobre impressionar a Deus

Sobre impressionar a Deus

Atualizado: Quarta-feira, 13 Março de 2013 as 10:28

 

filho pródigoA parábola do filho pródigo é uma das narrativas mais conhecidas da Bíblia (Lucas 15). É a típica trajetória de um filho mimado, que pede a antecipação da herança para “sair e ver a vida”. 
 
Em pouco tempo o dinheiro acabou, cessaram-se as regalias, e o baladeiro virou peão. Foi cuidar de porcos, comendo lavagem. Triste. 
 
Finalmente “a ficha caiu”, e ele voltou à propriedade do pai. Seu intuito era ser recebido como funcionário, e jamais comer com porcos novamente. Seu pai era um excelente patrão. Mas ao contrário do que esperava, o pai o recebeu como filho de honra, e deu uma grande festa. 
 
O filho mais velho não gostou da festa. Quando soube, não quis entrar. Sua justificativa: “Olha! Todos esses anos tenho trabalhado como um escravo ao teu serviço e nunca desobedeci às tuas ordens. Mas tu nunca me deste nem um cabrito para eu festejar com os meus amigos” (Lc. 15:29). 
 
Ou seja, seu desapontamento não se dá simplesmente pelo retorno do irmão. O problema é que o pai nunca se impressionara com sua fidelidade, seu trabalho árduo. Seu mundo caiu ao perceber que a festa do pai estava no arrependimento de um ser “imperdoável”, e não na atividade constante do principal administrador de seus negócios. 
 
Quando eu perceber que Deus não se move em resposta ao meu movimento, e que minha agenda não o comove, viverei melhor. Eu, e todo mundo que me cerca.
 
 
- Mario Freitas
 

veja também