Sonhos para o Ano Novo

Sonhos para o Ano Novo

Atualizado: Sexta-feira, 3 Janeiro de 2014 as 10:48

listaNa sua famosa declaração, Martin Luther King compartilhou o seu sonho de ver brancos e negros reconciliados e caminhando de mãos dadas. Não se tratava de uma fuga da realidade, mas de um objetivo ao qual ele dedicou sua vida, evitando assim uma guerra civil no seu país. Seguindo este excelente exemplo, nós também precisamos delinear o nosso sonho, pois sabemos que todos temos um propósito na terra, uma missão que ninguém pode fazer em nosso lugar porque cada um de nós é único. Mas um sonho não depende apenas de nós. Ele geralmente envolve outras pessoas. Daí a necessidade de estabelecer um plano a respeito daquilo que é a nossa parte. Pois corremos o risco de nos frustrarmos por alimentar expectativas irreais e aguardar passivamente a iniciativa de terceiros.
 
Deus nos salva para uma missão através do exercício dos dons que Ele nos confiou. Ele nos convida a nos edificar mutuamente, a socorrer os necessitados e ser luz no mundo. Temos uma primeira responsabilidade em relação a nós mesmos, de continuar crescendo e transformando o nosso caráter à imagem de Cristo. Esta ênfase no ser se evidencia no fruto do Espírito Santo que é Amor, Alegria, Paz, Paciência e Fé. São características do próprio Deus que devemos cultivar e desenvolver através da receptividade à obra que Ele quer realizar em nós. Esta vertente irá naturalmente desembocar no fazer através dos dons do Espírito Santo. Nosso carisma se manifesta no envolvimento com o nosso próximo.
 
Crescer significa construir relacionamentos mais maduros. Precisamos dar continuidade aos compromissos assumidos no passado, honrar os vínculos iniciados anteriormente. Ao avaliar a quantidade e qualidade dos nossos relacionamentos, podemos selecionar aqueles que desejamos aprofundar. Relações saudáveis requerem uma dedicação especial. São como plantas que precisam ser regadas e alimentadas. Passando em revista o ano de 2007, podemos aprender com os nossos erros e evitar atalhos e atoleiros que foram danosos. Identificar aquilo que pretendemos deixar para trás, iniciar ou desenvolver é uma tarefa muito importante para traçar um roteiro de prioridades e definir objetivos que nos garantem um bom aproveitamento do tempo.
 
O êxito se deve à disposição de sermos abençoados por Deus e de sermos uma bênção para outros. Precisamos ter a humildade de nos colocarmos debaixo da graça de Deus, reconhecendo que todos os nossos recursos espirituais, emocionais e materiais são presentes que não dependem dos nossos méritos, mas da generosidade ilimitada do Senhor. Receber com gratidão esses recursos e usufruir deles nos motiva a compartilhá-los. Quanto mais desejamos repartir, mais seremos abençoados.
 
Se os nossos planos forem calcados nos princípios bíblicos, podemos ter certeza que iremos enfrentar lutas. Por isso, é necessário que cada passo seja acompanhado de oração. A oração nos ajuda a não nos deixarmos contaminar pelo mal e a sermos receptivos ao bem. Resistir ao mal em nós e ao redor de nós não é suficiente; precisamos acolher o bem dando ênfase ao nosso lado luminoso, aos recursos que Deus nos confiou e aos sinais de esperança que enxergamos no mundo. Cristo veio para nos reconciliar com Deus e nos capacitar a viver uma vida em plenitude. Desfrutar dessa comunhão e deixar seu amor transbordar diferencia uma vida medíocre de uma vida realizada. A alegria não provém da ausência de sofrimento e dificuldades, mas da certeza da vitória, pois Cristo já venceu o mal e a morte.
 
Tendemos a adiar o que é essencial em prol de expectativas falsas que nos escravizam. Sem objetivos definidos, ficamos à mercê da agenda dos outros ou das circunstâncias. Precisamos estar receptivos àquilo que Deus quer realizar em nós e através de nós. Basta não atrapalhar. Basta estarmos atentos e aproveitar as oportunidades que Ele nos dá. Deus não nos invade nem se impõe. Cabe a nós deixá-lo curar as nossas feridas e renovar a nossa esperança. Ele está batendo à porta do nosso coração. Somos livres para abrir e convidá-lo a fazer parte da nossa intimidade. Essa escolha será decisiva para fazer deste ano algo realmente significativo ou apenas repetir os padrões distorcidos que carregamos desde a nossa infância.
 
 
- Isabelle Ludovico

veja também