Tanto faz como tanto fez...

Tanto faz como tanto fez...

Atualizado: Segunda-feira, 20 Maio de 2013 as 1:33

 

homossexualidadeEstamos vivendo nestes últimos dias em meio a uma grande polêmica. De um lado, os defensores do homossexualismo (da prática), do outro lado, os defensores das verdades bíblicas (do ser humano). Nesse cenário, temos: políticos, apresentadores de TV, artistas, pastores evangélicos e outros.
 
Alguns, tanto de um seguimento quanto de outro, não se manifestam com muito fervor. Outros são mais ardorosos em suas manifestações.
 
Entendo que, se levarmos em conta a base bíblica, a defesa do ser humano será sempre a partir do ponto de vista da justiça e do amor de Deus (João 3:16). Por tanto os que dizem que cada um tem o direito de escolher fazer o que quiser da sua vida tem uma parte de razão, levando-se em conta o livre arbítrio de Deus, mas creio que aquele que ama verdadeiramente o seu semelhante como Deus o ama, vai desejar para ele sempre o melhor – “Os céus e a terra tomo hoje por testemunhas contra vós, de que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe pois a vida, para que vivas, tu e a tua descendência” (Deuteronômio 30:19). Quando muitos dizem essa “verdade” não estão nem um pouco preocupado com o bem das pessoas, mas dizem isso porque é conveniente que essas pessoas saibam que “têm o seu apoio”.
 
É claro que o motivo desse texto não é questionar o apoio que aqueles que são homossexuais recebem da mídia quando vão ali divulgar um trabalho honesto e decente aos olhos de Deus e da sociedade, o trabalho e o cargo que ocupam em vários setores não está em debate, pois é um direito de todo o cidadão.
 
O motivo desse texto é externar minha indignação a respeito de uma mídia que a cada dia vem prestando um desserviço à família, porque boa parte de seus representantes não têm nenhum compromisso com o que é moral e descente, nem mesmo com o Eterno Deus.
 
Através de seus programas permitem que apresentadores, pessoas do meio político e artístico se expressem de maneira que os homossexuais pareçam os “santos” e, os defensores da verdade de Deus, os “demônios”. Alguns programas de modo sutil têm enganado até mesmo evangélicos, “ingênuos”, como é o caso do programa do Raul Gil, em alguns momentos, dá para perceber claramente as intenções do apresentador, quando faz menção, por exemplo, de práticas que Deus reprova, como o culto aos ídolos, em Êxodo 20:3-5, “Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás a elas nem as servirás…”. A exemplo desse apresentador citado, muitos outros seguem a mesma política do tanto faz, como tanto fez.
 
Como foi dito, alguns expressam suas opiniões de modo sutil. Em seus programas de auditório, onde recebem todo tipo de personalidade, fazem questão de anunciarem: aqui não há preconceito.
 
Eles não estão errados em levar ao programa deles quem quer que seja, pois a lei assegura que todos possam se expressar livremente, infelizmente, não se leva em conta também o que é lícito, ético e moral, sem se importar com verdades e princípios defendidos por uma sociedade cristã.
 
Mas, voltando ao homossexualismo, vocês se lembram que foi dito que a base para a defesa do bem estar do ser humano é a justiça e o amor de Deus? Pois é! Nem Raul Gil, nem Silvio Santos, nem Xuxa, nem Gugu, nem Faustão, nem Eliana, nem políticos, nem artistas, nem pastores, ninguém ama os homossexuais se não estiverem observando esse princípio sagrado da lei de Deus, o amor.
 
Jesus ama a todos, em especial os homossexuais, por quê? Veja o que diz o texto bíblico: “Jesus, porém, ouvindo, disse-lhes: Não necessitam de médico os sãos, mas, sim, os doentes” (Mateus 9:12). Sim! São pessoas carentes da misericórdia de Deus.
 
Outro motivo para afirmar que ninguém ama como Jesus é esse: O amor não faz mal ao próximo. De sorte que o cumprimento da lei é o amor (Romanos 13:10). Quantos só têm valor para a mídia enquanto estão fazendo sucesso? Quando o sucesso acaba, desaparecem, ninguém mais fala deles, é claro! Não dá mais audiência.
 
Alguns podem pensar que essa questão de lei, de obediência (quando se trata das Escrituras Sagradas) é coisa do passado, mas não é, Jesus nunca disse que a liberdade que Deus nos concedeu pela graça nos isenta de vivermos uma vida santa em obediência aos seus mandamentos.  Veja o que diz em Mateus 18:9: “E, se o teu olho te escandalizar, arranca-o, e atira-o para longe de ti; melhor te é entrar na vida com um só olho, do que, tendo dois olhos, seres lançado no fogo do inferno” A maior preocupação de Deus é com a nossa salvação, mesmo assim, ele não quer que vivamos hoje praticando coisas fora dos seus ensinamentos, ele não quer que usemos o nosso corpo de maneira errada, pois o Espírito Santo habita em nós: “Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?” (1 Coríntios 6:19).
 
Jesus ama os homossexuais porque ele odeia o pecado, se ele não aborrecesse o pecado, ele não amaria o pecador. Quem mente dizendo que Deus não se preocupa com a vida do ser humano, com o que ele faz ou deixa de fazer da sua vida é que não ama, nem os homossexuais nem a si mesmo, tais pessoas estão a serviço de Satanás que, segundo a Bíblia, é o pai da mentira: “Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira” – (João 8:44).
 
Enquanto que a turma do tanto faz, como tanto fez quer manter as coisas assim mesmo porque é conveniente a todos eles, Jesus quer muito mais, ele não quer audiência, sucesso nem dinheiro, ele quer a salvação de todo o pecador.
 
Boa parte desse povo da mídia não é verdadeiro porque não expressa verdadeiramente o que sente, muitos, lá dentro das suas casas, com a sua família na educação dos seus filhos falam uma coisa, mas quando estão na frente das câmeras, falam outra.
 
Há muito que tais comportamentos têm contribuído para o enfraquecimento da base familiar. Podemos ver até onde isso leva, ao observamos países escandinavos: Noruega, Dinamarca e Suécia, nos quais, na década de 1990, os líderes aceitaram de fato o casamento homossexual.
 
A consequência sobre a família tradicional é que a instituição do casamento está morrendo rapidamente nesses países. Casais jovens, em sua maioria, moram juntos ou optam por permanecerem solteiros.
 
Em algumas áreas da Noruega, 80% dos primeiros filhos são concebidos fora dos laços do casamento. Porque para alguns, esse princípio sagrado, como Deus determinou, perdeu o seu valor.
 
O casamento nos moldes do Criador é um presente para a humanidade! Um plano divino foi revelado a Adão e Eva: “Portanto, deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne” (Gênesis 2:24). Com essas 22 palavras, Deus anuncia a ordenação da família.
 
Então alguns acusam os verdadeiros cristãos (os que não pactuam com a prática do pecado) de serem preconceituosos, radicais e intransigentes. Mas isso acontece porque o verdadeiro cristão ama como Jesus ama, querendo o bem do ser humano, e reprovando o pecado (não o pecador).  Porque o projeto final de Deus é salvar o pecador, desejando que um dia, transformado, esteja na gloria com Ele.
 
Deus demonstra o seu amor por todos de várias formas, uma delas é pela própria lei da liberdade, dando ao homem a oportunidade de escolher um dos dois caminhos apresentados por ele: “Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela;… E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem” (Mateus 7:13,14). O homem é livre, cabe a ele fazer a escolha, mas isso não significa dizer que Deus aprova qualquer escolha, ele só aprova a escolha certa.
 
 
- Pr. Carlos Azevedo
 

veja também