Tempo de Levantar e Tempo de Derribar

Tempo de Levantar e Tempo de Derribar

Atualizado: Quarta-feira, 13 Outubro de 2010 as 10:52

Em Números 21:4 a 9, Deus manda Moisés fazer uma serpente de bronze. A serpente veio num momento de murmurações e desânimo do povo ao rodear Edom. O que estes nomes representam? Edom significa: Manchado de Vermelho, um dos nomes de Esaú, que não entendia as coisas de Deus, porque lhe parecia loucura.  Esaú não podia entendê-las porque a sua mente era carnal, imediatista e mundana, só se interessava pelo presente, ignorando o futuro e as promessas de Deus. Será não somos assim? Qual é o nosso futuro como povo de Deus? Precisamos rever nossa vida por completo e tomar decisões reais, pois não podemos aceitar tudo o que tem sido falado sobre ser evangélico moderno e abrir mão da prática real dos princípios básicos da obra de Deus, coisas como servir, evangelizar, buscar o perdido, aceitar meu irmão e quebrar as barreiras.

Não é nos transformar em um povo que tem uma bandeira dentro da Igreja, mas é ser povo de Deus cheio do mesmo amor que Jesus teve por nós. Não podemos ser hereges, duvidando e questionando, ocupando a mente com lamentos, não podemos apenas ter cosméticos evangélicos e apenas falar jargões, usar coisas ou roupas, nos contentar com doutrinas, usos ou costumes. O que precisa acontecer de verdade é a uma experiência real com Jesus e com Seu testemunho em nós, deixarmos de ser manchados de vermelho de nossa carne natural para sermos alvos e puros.

Ao ler II RS 18: 1 a 4 vemos que Ezequias destruiu a serpente que Moisés fez segundo a ordem de Deus. Naqueles dias o povo deu nome a cobra: Neustâ! Será que não demos nomes a cobras modernas? Começaram segundo a vontade de Deus, mas hoje se tornaram o motivo da idolatria e do fogo abrasador que suas picadas produzem? Será que não é preciso que se levantem homens como Ezequias para quebrar a serpente? Ezequias significa “aquele que tem a força (energia) de Deus”. Que significado forte!

Será que tudo o que Deus mandou fazer no passado, o homem não transformou em idolatria no presente? O que curava no passado, hoje não seria motivo de engano e manipulação de massa no presente? Coisas, artefatos, costumes e práticas podem ter se tornado apenas Neustã! Não podemos aceitar as regras atuais, é preciso purificação.

O problema começou com a murmuração, na impaciência do povo, e este povo pecou contra Deus, pecou contra o homem de Deus, pecou contra o alimento de Deus, pois disseram: "nossa alma não tem apetite deste pão vil". Quais os enfoques relativos a estes problemas em nossos dias? Que coisas tem feito parte da Igreja, que Deus não tem se agradado? Quais os novos ministros e o que estão fazendo de errado por causa dos pedidos do povo? A igreja hoje é impaciente.

Existe sim um remanescente que possui anseio pela prática da verdade, pelo levantar de um povo que ame a verdade. É preciso animar uns aos outros, investir em relacionamentos intensos que produzam vida, quebrar a rotina e fazer de verdade o que Jesus ensinou; incluir pessoas, incluir vidas. Quebrar o que tem impedido a presença de Deus der chegar até nós.

Chega de mudar as regras, chega de apenas uma aceitação para manter a política da boa vizinhança, chega de individualismo religioso e da competição entre os que mais tem poder, vamos acabar com o sectarismo. O povo falou contra Deus e contra Moisés, e como eu e você podemos nos prevenir deste engano? Não é apenas combater a estrutura ou a igreja institucional, mas o pecado acontece quando o relacionamento é retirado ou não praticado – Isso é maléfico. Ouvi dias atrás alguém dizendo assim: Bendito o Deus da Assembléia de Deus! Será que Deus é apenas Deus lá?

Não podemos pular pessoas, desfazer, excluir, é preciso envolvimento. Não podemos só nos dar bem com quem é igual ou tem as mesmas práticas que nós. Não podemos viver alienados. Não deixemos de amar ou olhar as pessoas diferentes simplesmente porque não tem o biótipo que apreciamos, dinheiro ou cor de pele. A Igreja precisa se tornar relevante fora de seus templos e assuntos relevantes que irritam satanás falam de comunhão real, relacionamentos reais e prática do amor real um com o outro, coisas estas que sumiram do seio da igreja moderna.

Em um momento Deus mandou fazer a serpente e em outro permitiu que alguém a destruísse, pois havia se tornado idolatria. Fica a pergunta: Será que tudo o que achamos ser igreja, templos, placas, doutrinas, práticas e outras coisas mais, não se tornaram Neustã?

Valdir Ávila S. Junior   é pastor, teólogo, músico e produtor musical. Participou com a Ruach Ministries International de viagem missionária à Finlândia com Asaph Borba e Donald Stoll, fundadores do Estúdio Life (RS). Gravou com Adhemar de Campos, Daniel Souza, Gerson Ortega, Gregório McNutt, Nívea Soares, Massao Suguihara, Sostenes Mendes e David Quinlan.

Proprietário da Escola de Educação Infantil e Berçário Cercado de amor, uma escola com princípios cristãos, que cuida de crianças entre zero e cinco ano de idade.   www.cercadodeamor.com.br . Foi pastor em Botucatu onde dirigiu grupos relacionados ao louvor congregacional, tais como: dança, libras, backing vocals, coral, músicos e técnicos de áudio. Implantou o Estúdio Voima que já produziu e gravou vários outros trabalhos pelo Brasil. Atualmente é Pastor da Igreja Bíblica Evangélica de Piracicaba, cidade onde reside e tem se dedicado ao ministério da palavra.É integrante do Conselho Editorial da Revista Impacto - Americana.   www.revistaimpacto.com .

Site pessoal:   www.vidanaverdade.com.br   - e.mail: [email protected]

veja também