Tiroteio mata 9 pessoas em igreja de comunidade negra nos EUA

O tiroteio ocorreu na Emanuel African Methodist Episcopal Church, uma das mais antigas da comunidade negra, durante uma reunião de estudos bíblicos.

Fonte: Guiame, com informações de G1Atualizado: quinta-feira, 18 de junho de 2015 18:47
Grupo se reúne para orar após tiroteio em igreja. (David Goldman/AP)
Grupo se reúne para orar após tiroteio em igreja. (David Goldman/AP)

 

Um tiroteio em uma igreja da comunidade negra na cidade de Charleston, na Carolina do Sul, Estados Unidos, deixou 9 mortos e um ferido na noite desta quarta-feira (17). Segundo a polícia local, o ataque foi feito por Dylann Storm Roof, de 21 anos, que foi detido nesta quinta-feira (18).
 
Segundo a polícia, o atirador se sentou com os fiéis por cerca de uma hora, durante uma reunião de estudos bíblicos, antes de atirar. O chefe de polícia Greg Mullen disse a repórteres que seis mulheres e três homens foram mortos na igreja Emanuel African Methodist Episcopal, na noite de quarta-feira (17), e que três pessoas sobreviveram ao ataque.

Um tio do suspeito disse à agência de notícias Reuters que o reconheceu após a divulgação das fotos pela polícia, e afirmou que o jovem ganhou uma pistola calibre .45 de presente em abril. "Quanto mais olho, mais me convenço de que é ele", disse Carson Cowles, de 56 anos.

Segundo a agência Reuters, o suspeito Dylann Roof tem uma foto em seu perfil do Facebook em que aparece com uma jaqueta estampando a bandeira símbolo do regime do apartheid, que segregou negros e brancos na África do Sul.
 
Dylann Roof com uma jaqueta com bandeiras da África do Sul na época do apartheid (topo) e a da Rodésia, antigo estado não reconhecido que instaurou um regime racista. (Facebook/Dylann Roof)

 
O Departamento de Justiça americano disse que investiga o caso como crime de ódio, sugerindo que há motivações racistas por trás do ocorrido.

Segundo a rede NBC, o senador democrata Clementa C. Pinckney estava entre as vítimas. Ele era reverendo no templo, segundo o jornal The New York Times.

Tensão racial
O crime representa um novo golpe para a comunidade afro-americana nos Estados Unidos, que nos últimos meses foi vítima de crimes aparentemente motivados por racismo.
 
Este foi o caso de Ferguson em 2014 e o de Baltimore há algumas semanas, onde homicídios foram cometidos por policiais brancos contra homens negros desarmados. Vários crimes similares foram cometido em Charleston, provocando uma grande tensão racial no país.
Siga-nos

Mais do Guiame