Todd White conta que deixou as drogas após sair ileso de tiros e ouvir a voz de Deus

O evangelista contou como foi árduo o processo de sua conversão e a luta contra seus vícios, que o atormentavam desde a infância.

fonte: Guiame

Atualizado: Segunda-feira, 16 Março de 2020 as 12:29

Todd White lutou contra o vício em drogas, alcool e pornografia, que o atormentaram desde a infância e hoje é evangelista. (Imagem: Youtube / Reprodução)
Todd White lutou contra o vício em drogas, alcool e pornografia, que o atormentaram desde a infância e hoje é evangelista. (Imagem: Youtube / Reprodução)

"Por 34 anos da minha vida, ninguém me falou sobre Jesus, ninguém compartilhou o Evangelho comigo". A frase impactante faz parte do testemunho do evangelista Todd White, que compartilhou sua história em uma de suas vindas ao Brasil, no Projeto Vida.

Segundo o pastor contou, seus problemas com drogas, alcool e pornografia começaram logo cedo.

"Eu sei que era um mentiroso, um drogado, eu machucava as pessoas. Eu já era viciado em pornografia desde os oito anos de idade, viciado em drogas e alcool desde os 11 anos. Eu desperdicei minha vida inteira, pensando que a mulher naquele vídeo [pornô] me faria um homem. Eu passei a minha vida inteira, pensando que ficar chapado faria as coisas ficarem melhores para mim", contou.

"Meus pais se divorciaram quando eu tinha 11 anos e imediatamente eu me rebelei. Então, comecei a usar drogas e a roubar. Minha mãe disse: ‘você precisa sair daqui para outro lugar. Então, ela me colocou em um abrigo e o meu vício piorou. Eu fiquei naquele lugar para meninos por 5 anos e meio, sem ter os meus pais comigo", acrescentou.

Todd cresceu como um rebelde e no Ensino Médio anos anos foi expulso novamente de casa pela própria mãe, devido aos seus problemas com drogas e sua relação difícil com o padrasto.

“No Ensino Médio eu fui expulso da escola e voltei para casa. Minha mãe já estava casada com meu padrasto e eu odiava aquele homem. Então, a minha mãe novamente disse: ‘Você não pode ficar aqui’. Eu fui de casa em casa, ainda preso às drogas, ao alcool e fortemente viciado em pornografia”, contou.

Enganando a todos

Os problemas que teve com drogas e seus registros que indicavam problemas com seu serviço militar na Marinha dificultaram que ele arranjasse um bom emprego. Porém, ele conseguiu enganar sua namorada por algum tempo.

“Eu encontrei uma mulher em um bar e eu comecei a pensar nela. Ela era linda e também havia gostado de mim”, contou. “Ela não sabia o quão viciado, o quão horrível eu era, mas eu era horrível. Depois de um tempo ela começou a ver, mas a essa altura ela já estava grávida”.

Quando enfim sua filha nasceu, Todd foi ao bar para “celebrar” e acabou se embriagando.

“Quando voltei para casa, percebi que tinha outro bebê pelo qual eu era responsável: o bebê dentro de mim mesmo, além dessa bebê a quem eu nem conseguia sustentar”, disse.

Transtornado pela vergonha, Todd pensou que se ele tirasse sua própria vida, acabaria com seu próprio sofrimento e o de pessoas à sua volta.

“Talvez se eu somente puxar o gatilho, será melhor”, pensou ele com uma arma nas mãos. “Talvez se eu atirar na minha cabeça, acabo com isso tudo de uma vez”.

Para tentar se libertar dos pensamentos suicidas, Todd passou a usar ainda mais drogas e mais alcool, mas a situação só piorava.

Anos se passaram e sua namorada continuou com ele, apesar de todo o sofrimento. Mas um dia, quando sua filha já tinha 7 anos, ambas partiram e a garotinha escreveu uma carta para o pai.

“A mamãe disse que ela nunca irá voltar. Eu te amo, papai. Vou sentir saudades”, escreveu a menina.

Tentando um recomeço

Todd ficou desesperado, foi até a casa do padrasto de sua namorada para pegar alguma das armas que o homem guardava, mas achou algo que chamou sua atenção.

“Havia uma lista telefônica e ela estava aberta na página em que tinha o número de uma igreja. Eu pensei: ‘Só pode ser brincadeira! Por que eu iria a uma igreja estúpida?’”

Mas os sentimentos de Todd estavam confusos. Então, ele marcou a igreja listada naquele catálogo, pegou seu carro e foi até ela.

“Eu preciso falar com alguém agora”, disse ele ao chegar ao local.

O pastor daquela igreja o recebeu com amor e compaixão.

“Ele olhou para mim e disse: ‘Ok, pode entrar, amigo’. Eu respondi: ‘Não sou teu amigo’”, contou.

O pastor o levou ao segundo andar da igreja para conversar e o sorriso no rosto daquele líder cristão incomodava Todd. Mas o ódio de Todd não foi suficiente para intimidar aquele pastor, que compartilhou a mensagem de Jesus de maneira paciente e corajosa.

Todd aceitou a proposta daquele pastor, de entregar sua vida a Jesus e após sair daquela igreja, não pensava mais em suicídio como antes. Mas deixar o vício das drogas era difícil.

Ele continuou a se drogar, apesar de sentir-se muito mal quando o fazia, até que certa vez, quando tentou roubar drogas de um traficante, passou por um livramento e ficou impactado ao ouvir a voz de Deus.

O criminoso descarregou sua arma na direção de Todd, mas nenhum tiro o atingiu e então ele passou a ouvir uma voz que dizia: “Eu peguei todas aquelas balas por você. Você está pronto para viver por mim?”.

Foi esse momento que de fato, marcou o recomeço da vida de Todd. Atualmente, Todd mantém um ministério no qual sai às ruas para evangelizar e ministrar cura sobre as pessoas em todo o mundo.

Clique no vídeo acima para conferir o testemunho completo.

veja também