Três cristãos são proibidos de cultuar e podem ser presos

Três cristãos são proibidos de cultuar e podem ser presos

Atualizado: Quarta-feira, 1 Abril de 2009 as 12

Irã - Após declarar três cristãos iranianos culpados por cooperar com "movimentos anti-governistas", um tribunal em Shiraz ordenou que os cristãos encerrem suas atividades cristãs e parem de propagar sua fé.

Um tribunal islâmico revolucionário entregou uma sentença de prisão para Seyed Allaedin Hussein, Homayoon Shokouhi e Seyed Amir Hussein Bob-Annari. O juiz disse que iria reforçar a pena e julgá-los como "apóstatas", ou como aqueles que deixam o islã, se eles violassem os termos de sua condicional – incluindo o contato de um com o outro.

Um novo código penal em consideração no Irã inclui um projeto de lei que pede pena de morte para a apostasia.

"O alerta dado a eles de que serão ‘presos e julgados como apóstatas’ se continuarem com as atividades cristãs é bem assustador", disse um analista regional que pediu anonimato.

O tribunal revolucionário islâmico foi criado após a revolução de 1979 para perseguir os suspeitos de destituir o regime islâmico. Fontes afirmam que as ligações entre os acusados e essas organizações são tênues.

Os três homens foram presos em 11 de maio de 2008 no aeroporto de Shiraz, quando iam para um seminário cristão sobre casamento em Dubai. De acordo com uma reportagem da FCNN, os familiares dos três homens evitaram prestar queixas formais e concordaram com os termos de soltura, incluindo o pagamento de uma grande quantia. Os detalhes do termo são desconhecidos.

A condenação dos três convertidos dá continuidade a mais de 50 prisões de cristãos registradas somente em 2008. A recente repressão do governo inclui instituições cristãs que ministram na pequena comunidade étnica cristã.

Em 19 de março, Yonathan Betkolia, membro do parlamento assírio, anunciou que por uma ordem do tribunal revolucionário islâmico, uma igreja pentecostal em Tehran seria fechada porque oferece cultos na língua farsi, frequentados por convertidos do islã.

Estima-se que o número de cristãos assírios no país está entre 10.000 e 20.000, e cristãos armênios no Irã estão entre 110.000 e 300.000.

"O fechamento dessa igreja é claramente uma violação dos direitos humanos, porque o direito de mudar de religião e o direito de expressão estão sendo atingidos pelo partido revolucionário islâmico."

veja também