Tribunal proíbe queima da Bíblia em resposta a pastor norte-americano

Tribunal proíbe queima da Bíblia em resposta a pastor norte-americano

Atualizado: Segunda-feira, 13 Setembro de 2010 as 7:35

Um tribunal de Johannesburgo proibiu a queima de uma Bíblia, programada para este sábado por um empresário, cuja intenção era responder à ameaça de um pastor evangélico americano que ameaçou atear fogo a exemplares do Alcorão, informou a imprensa local.

O tribunal emitiu sua decisão na tarde de sexta-feira. Em caráter de urgência, a sentença proíbe Mohamed Vawda de celebrar o "Dia da Queima da Bíblia", indicou neste sábado o jornal Saturday Star.

Vawda queria fazer uma fogueira com Bíblias em uma movimentada praça de Johannesburgo em represália à atitude do pastor Terry Jones, que provocou enorme polêmica ao anunciar que queimaria 200 exemplares do livro sagrado do islã para lembrar os nove anos dos atentados de 11 de setembro de 2001.

A ameaça do pastor Jones "me incitou" a tomar esta decisão, disse Vawda, de 38 anos, ao jornal.

Sua atitute "me enojou e me ofendeu". Minhas ações são dirigidas contra ele. Eu queria detê-lo. Ele nem sequer ouve o próprio presidente", declarou Vawda.

O presidente americano, Barack Obama, condenou a intenção de Jones.

veja também