Tudo coopera para quem é de Deus

Tudo coopera para quem é de Deus

Atualizado: Sexta-feira, 21 Junho de 2013 as 2:13

protestoDesde que o movimento começou, eu estava tentando entender a raiz de todo esse aparente caos que tomou conta do Brasil. Achei tudo muito suspeito, do nada todo mundo resolve sair às ruas, em massa, protestando contra tudo e todos? Realmente estava tentando entender, sem me deixar levar pela imprensa ou pelo que os outros diziam. Ontem, ao ver as imagens dos protestos no país, me deparei com uma foto da prefeitura paulista pichada com a palavra “desobediência”.
 
Ano passado, durante a campanha para prefeito de São Paulo, a Universal sofreu uma perseguição violenta, com calúnias e boatos requentados e servidos com bolinhos no café da manhã. Foi uma perseguição calculada e arquitetada não necessariamente por quem queria o nosso mal, mas para conseguir uma vitória política a todo custo. Mas não interessa se são nossos inimigos de coração ou não, é fato: todo aquele que se levanta contra quem é de Deus, está se levantando contra o próprio Deus. Cedo ou tarde, colhe o resultado.
 
Em 2010, participei da campanha presidencial a favor da Dilma. Não me arrependo, pois eu não estava lutando por um partido, mas pelos meus ideais: batemos na mentira, na injustiça e na manipulação da mídia. No entanto, nas eleições de 2012, optei por Russomano. Quando Haddad ameaçava ir para o terceiro lugar, a campanha perdeu o tom.
 
Passaram a distorcer a proposta do Russomano para a questão das passagens de ônibus, dizendo que ele acabaria com o Bilhete Único. Além disso, usaram o fato de ele ser do PRB para tentar vinculá-lo à Universal dizendo que ele era marionete do Bispo Macedo e que a Igreja governaria São Paulo. Trabalharam com o medo e o preconceito dos incautos, fizeram uma campanha desleal, mais suja e desesperada do que a que sofreram em 2010. Venderam a alma para o diabo.
 
Nos blogs e nas redes sociais, chamavam os bispos de ladrões, nos chamavam de ignorantes, de zumbis, diziam que éramos impedidos de pensar, que a Universal queria dominar o mundo e qualquer maldição sugerida contra o Bispo ou contra a Universal (e quando eu falo em “Universal” incluo cada um de nós, membros, pois a igreja é um organismo vivo) era bem recebida, pois valia tudo para ganhar.
 
Ganharam. Uma cidade que queriam há muito tempo, agora estava em suas mãos. O que eles não sabiam era o preço que teriam que pagar.
 
A promessa que Deus fez para Abraão, fez para o Bispo Macedo e para cada um de nós quando nascemos de Deus:
 
“Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem.” Gênesis 12.3. (Quem nos apoiou até hoje, foi abençoado; mas que fim tiveram aqueles que nos atacaram?)
 
Ao nos amaldiçoar, amaldiçoaram a si mesmos. Deus, como sempre, converteu a maldição em bênção para nós, mas eles colhem agora o que plantaram lá atrás. Porque não pode ser coincidência que o tema das passagens tenha sido o que eles mais bateram na campanha do PRB ano passado, envolvendo o nome da Igreja para desconstruir a candidatura de Russomano.
 
No início do cristianismo, os fariseus perseguiram os apóstolos e conseguiram prendê-los. Gamaliel, um mestre da lei, muito respeitado, deu as palavras de sabedoria que deveriam ser ouvidas por todos que nos perseguem:
“Agora, vos digo: dai de mão a estes homens, deixai-os; porque, se este conselho ou esta obra vem de homens, perecerá; mas, se é de Deus, não podereis destruí-los, para que não sejais, porventura, achados lutando contra Deus." Atos 5.38
 
Do início ao fim da Bíblia a gente vê isso com clareza. Quem luta contra os servos de Deus luta contra o próprio Deus.
 
Ainda que não tenham tido consciência disso na época, a moeda que usaram para vender a campanha é a mesma que se cobra agora. Eu tenho plena convicção de que é por isso que os protestos começaram com a questão das passagens – e em São Paulo. Para que ficasse claro a quem tiver olhos espirituais. Os espíritos que vinham oprimindo o povo estão saindo, como um estouro de boiada. E o povo, em busca de liberdade, sai às ruas. Nessa multidão, saem os manifestantes (certos ou não, mas bem intencionados), e os manifestados, que são os que depredam, saqueiam e agridem...são os que picharam a fachada da prefeitura de São Paulo com a palavra que dá origem ao caos, à guerra, à baderna, a tudo o que há de pior: desobediência.
 
Essa é, na minha opinião, a razão de tudo o que temos visto nos últimos dias: quando decidiram mentir, enganar, distorcer e espalhar calúnias, eles fizeram uma escolha. Optaram pela desobediência a Deus e pela injustiça. Quem planta desobediência, colhe desobediência. Quem planta injustiça, colhe injustiça. Não estou aqui rindo deles ou dizendo: “Bem feito”. Não. É com pesar que escrevo essas palavras, porque eu sempre torci para que fizessem a escolha certa, para que abrissem os olhos.
 
Não estou aqui também dizendo que eles são nossos inimigos, não são. Mas a realidade é uma só: quem planta, colhe. Seja pobre, seja rico, não importa, a escolha da semente determina a colheita.
 
Não é nosso papel pregar anarquia, mas é nosso papel alertar àqueles que foram colocados no poder para cuidar do povo que eles não receberam meramente um cargo, mas uma responsabilidade muito grande. E a quem muito foi dado, muito será cobrado. Seja em qual partido for, seja em qual esfera for, se há corrupção, há injustiça. Se há injustiça contra um povo que tem orado pelo seu País, ela não ficará impune.
 
“Ai dos que decretam leis injustas, dos que escrevem leis de opressão, para negarem justiça aos pobres, para arrebatarem o direito aos aflitos do meu povo, a fim de despojarem as viúvas e roubarem os órfãos.” Isaías 10.1,2
 
O povo nas ruas hoje é, também, parte do cumprimento dessa palavra. Mas a Bíblia também diz que tudo coopera para o bem daqueles que amam a Deus. Por mais que as manifestações pareçam, às vezes, tender para o caos, por mais que não saibamos onde vão dar, podemos ter certeza, por causa dessa Palavra, que tudo, absolutamente tudo o que está acontecendo vai cooperar para o nosso bem. Não sei como, mas tenho certeza de que vai. Nossa verdadeira luta não é lá nas ruas, nossa luta não é contra a carne ou sangue, mas, sim, espiritual. E por almas. Tenho certeza de que todas as coisas cooperarão para o crescimento do Reino de Deus em nosso País.
 
 
- Vanessa Lampert
bispomacedo.com.br
 

veja também