Uma breve consideração sobre a chamada 'cura gay'

Uma breve consideração sobre a chamada 'cura gay'

Atualizado: Segunda-feira, 1 Julho de 2013 as 12

homossexualidadeParte da imprensa está sendo extremamente tendenciosa quanto ao sentido e significado daquilo que chamam de "Cura gay". 
 
Antes de qualquer coisa  é necessário com que entendamos o Projeto de Lei em si. Na verdade, o PDL 234/2011 não faz nenhuma referência a cura, mesmo porque, a homossexualidade não é uma doença e sim um comportamento aprendido. Portanto, a imprensa ao chamar o projeto em questão de “cura gay” o faz de forma tendenciosa mentindo descaradamente  tentando com isso manipular a opinião da população brasileira. 
 
Isto posto, vamos aos fatos:  o que o projeto diz é que o Conselho Federal de Psicologia não pode  impedir que psicólogos ajudem os homossexuais que decidirem por vontade própria pedir ajuda sobre a sua sexualidade. 
 
Caro leitor, vamos combinar uma coisa? Nenhuma entidade de classe profissional, religiosa ou quem quer que seja, pode tolir uma pessoa de buscar ajuda se ela assim desejar e decidir. O que o Conselho Federal de Psicologia tenta fazer ao impedir com que psicólogos tratem de homossexuais  é uma afronta a Constituição Brasileira. 
 
Por favor, pare, pense e responda: Por que um heterossexual pode pedir ajuda a um psicólogo sobre sua sexualidade e um homossexual não? Ora, um heterossexual pode buscar ajuda psicológica para "assumir" sua homossexualidade, mas um homossexual não pode fazê-lo para sair dela? Dois pesos, duas medidas?  É isso?  
 
Prezado amigo, cada um é o que quer. As pessoas são livres para fazerem o que quiserem na vida, no entanto, elas não possuem o direito de cercear a vontade daqueles que desejam por exemplo abandonar a homossexualidade. Portanto, o PDL não  trata de uma cura gay e sim de permitir a quem quer que seja o direto de ser ajudado profissionalmente. 
 
É isso!
 
 
- Renato Vargens
 

veja também