Unção e louvor contagiante marcam a Cruzada do Bispo Charles Blake

Unção e louvor contagiante marcam a Cruzada do Bispo Charles Blake

Atualizado: Segunda-feira, 16 Junho de 2008 as 12

Foram três dias com palavras poderosas, gospel americano autêntico e desfiles da "moda COGIC"

Por Myrian Rosário

Quem esteve na Igreja Bíblica da Paz nos últimos dias 12, 13 e 14 de junho, sentiu-se como se estivesse numa congregação avivada dos Estados Unidos. Foram três noites marcadas por palavras cheias de unção e poder de Deus, louvor com liberdade e afinação tipicos do gospel norte-americano e muitas mulheres com vestidos de festa na plataforma e na platéia.

A Cruzada do Bispo Charles Blake, presidente internacional da COGIG (Church of god in Christ, ou Igreja de Deus em Cristo) foi um marco para a história pentecostalismo na capital paulista. "Embora já tenha estado aqui antes, essa é a primeira vez que Blake vem ao Brasil para pregar. Acredito que o Senhor esteja derramando uma unção para o sucesso, para que as igrejas brasileiras cresçam ainda mais", declarou Judith McAllister, vice-presidente do Departamento de Música da COGIC Internacional, que também esteve no Brasil pela segunda vez.

Questionado por nossa reportagem sobre o que seria necessário para que o avivamento chegasse à igreja brasileira, Charles Blake foi enfático ao responder que "o avivamento já chegou!". O bispo destacou que, embora não conheça muito sobre a nossa igreja, sabe "que é uma igreja muito avivada, onde há muitos homens de Deus realizando um bom trabalho". "Eu vim para compartilhar, para ajudar, para incentivar e dar suporte a esse crescimento", revelou o líder da maior denominação pentecostal dos Estados Unidos.

Com sede em Memphis, a COGIC está presente em 62 países e conta com mais de seis milhões de membros. Blake é pastor da West Los Angeles, igreja com mais de 25 mil membros, incluindo personalidades como Denzel Washington e Magic Johnson. Segundo Armanda Cardoso, relações públicas do evento, a Cruzada contou com mais de 150 levitas, entre músicos e cantores, no louvor e a freqüência média foi de duas mil pessoas por dia.

"É lindo demais", exclamava a pastora Baby do Brasil, que esteve presente nos três dia de Cruzada. "Quando o povo de Deus vê que outras nações amam ao Senhor como ele, o povo fica numa felicidade muito grande. É muito bom constatar que Deus está fazendo grandes coisas em toda terra". Baby confessa que não conhecia muito sobre a história do avivamento da Rua Azusa, de onde se originou a COGIC, mas ressaltou a importância dos avivamentos para o fortalecimento do povo de Deus. "Para nós é uma prova da força de Deus e toda vez que há um avivamento recebemos uma prova da força de Deus e somos fortificados com isso", analisou. "Não que Deus precisasse disso para nos fortificar, mas é maravilhoso ver que Deus está em toda terra, em todas as culturas".

Black Music

O louvor contagiante bem ao estilo gospel norte-americano impressionou os brasileiros que participaram da Cruzada. "Onde fica a igreja desse pessoal aqui no Brasil?", indagava o baterista Alberto de Lima Júnior, membro da Igreja Bíblica da Paz que, junto com a esposa e os dois filhos pequenos, foi tomado pela unção do louvor dos negros americanos.

Além das cantoras Judith McAllister e Markita Knight, que vieram da COGIC Los Angeles, o louvor ficou por conta de Michael McCurtis, embaixador da COGIC Brasil, Coral Resgate para a Vida e Coral Brasmass, com mais de cem vozes. "Uma das coisas mais belas é ver como a black music é a música mais completa para louvar ao Senhor", observou Baby do Brasil. "É a música mais rica. O Senhor deu aos negros um presente que Ele não deu aos brancos porque Ele é justo. Eles sofreram no cativeiro e Deus teve misericórdia deles. Eles são os melhores do mundo nas artes. Deus honra os oprimidos. Como está na Bíblia, para cada dia de vergonha, há dupla honra".

Projeto Social

A Cruzada também marcou o lançamento do Projeto "Salve as Crianças Brasil". Promovido pela Brasmerica, ministério liderado por Michael McCurtis, e pelo Bispo Charles Blake, o projeto é uma versão do "Salve as Crianças Africa" (SCA), um programa de ajuda humanitária às crianças órfãs e vítimas da Aids, considerado como programa modelo pela crítica internacional.

No Brasil, o projeto pretende apoiar, orientar e dar às crianças carentes numa perspectiva para o futuro, educando para formar e capacitar executivos do futuro. O ensino de música e a promoção de concursos e gincanas que tenham como prêmio bolsas de estudo também fazem parte do projeto.

A Cruzada do Bispo Charles Blake contou com a participação de inúmeros líderes da COGIC no Brasil, entre eles o Bispo Samuel Moore, um dos fundadores da denominação no Brasil, Mãe Lee Van Zandt ,supervisora do Departamento de Mulheres, e Reverendo Sérgio Melo, genro do Pr. Rubens Santos que também foi fundador da COGIC no Brasil.

Fotos: Getúlio Camargo

veja também