“A única coisa que pode solucionar uma crise é a oração do povo de Deus”, diz pastor

Joel Engel destaca que oração é uma das chaves para vencer tempos de crise e ter uma vida de intimidade com Deus.

fonte: Guiame, Luana Novaes

Atualizado: Quarta-feira, 3 Junho de 2020 as 1:16

Pastor Joel Engel fala sobre a importância da oração em tempos de crise. (Foto: Ministério Engel)
Pastor Joel Engel fala sobre a importância da oração em tempos de crise. (Foto: Ministério Engel)

Segundo o pastor Joel Engel, a Bíblia deixa instruções claras sobre a posição dos cristãos em tempos de crise. A terra pode ser curada se o povo de Deus “se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos” (2 Crônicas 7:14).

“Deus é soberano sobre tudo o que acontece. Se vier uma crise, a única forma de vencê-la é através da oração. Deus diz que para Ele responder, Seu povo deve orar”, diz Engel ao Guiame.

“Essa crise que estamos vivendo só vai passar quando o povo de Deus se humilhar, orar e se converter de seus maus caminhos. A única coisa que pode solucionar e mudar uma crise é a oração do povo de Deus”, acrescenta.

Engel destaca que oração é uma das chaves para uma vida de intimidade com Deus. “O que tornou Salomão íntimo de Deus foi sua oração. O que tornou Daniel íntimo de Deus foi sua oração; Daniel orava pelo menos três vezes por dia. Davi levantou um tabernáculo de oração e orava várias vezes ao dia, inclusive durante a noite. O próprio Jesus acordava de madrugada para orar e orava por muitas horas”, observa.

Ele também fala sobre os diferentes tipos de oração, incentivando os cristãos que sentem dificuldades de orar. Veja abaixo a entrevista completa:

Guiame: Qual a importância da oração em tempos de crise?

Joel Engel: Para o povo de Israel a oração é tão importante que, após saírem do Egito, Deus mandou que construíssem um tabernáculo para que eles pudessem ter esse contato com Deus e ali fizessem as orações. Depois Salomão edifica o templo e faz a sua dedicação ao Senhor, levantando as mãos para orar. (2 Crônicas 6:12).

Em 2 Crônicas 6:19-20, Salomão pede: “Atende à oração do teu servo e ao seu pedido de misericórdia, ó Senhor, meu Deus. Ouve o clamor e a oração que teu servo faz hoje na tua presença. Estejam os teus olhos voltados dia e noite para este templo, lugar do qual disseste que nele porias o teu nome, para que ouças a oração que o teu servo fizer voltado para este lugar”.

Aqui começa a importância da oração. Salomão constrói o templo e pede a Deus para que toda oração naquele lugar seja ouvida, quando o céu se fechasse, quando o povo tivesse pecado, quando houvesse fome e pragas ou quando os inimigos sitiassem suas cidades (2 Crônicas 6:26-30).

A oração de um rei, sacerdote ou qualquer outra autoridade é como um decreto. Orações dessa natureza são escritas na Bíblia para que sejam lidas, e os judeus têm o hábito de ler as orações bíblicas. 

Em Crônicas 7, Deus responde a oração de Salomão, que também é registrada de forma escrita. 

“O Senhor lhe apareceu de noite e disse: ‘Ouvi sua oração, e escolhi este lugar para mim, como um templo para sacrifícios. Se eu fechar o céu para que não chova ou mandar que os gafanhotos devorem o país ou sobre o meu povo enviar uma praga, se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar e orar, buscar a minha face e se afastar dos seus maus caminhos, dos céus o ouvirei, perdoarei o seu pecado e curarei a sua terra’” (2 Crônicas 7:12-15)

Aqui podemos ver alguns princípios. Em primeiro lugar, tudo vem de Deus. Se Deus permite alguma crise ou seca, foi porque o povo se desviou ou se afastou. E aí Deus dá as dicas de como Ele vai responder: se o meu povo humilhar e orar, buscar a minha face e se afastar dos seus maus caminhos.

Deus é soberano sobre tudo o que acontece. Se vier uma crise, a única forma de vencê-la é através da oração. Deus diz que para Ele responder, Seu povo deve orar. Essa crise que estamos vivendo só vai passar quando o povo de Deus se humilhar, orar e se converter de seus maus caminhos. A única coisa que pode solucionar e mudar uma crise é a oração do povo de Deus.

Guiame: Você acredita que uma vida de oração é um dos pontos chaves para a intimidade com Deus?

Joel Engel: A oração na busca na intimidade com Deus é tão importante que, quando Salomão orou, Deus o visitou. O que tornou Salomão íntimo de Deus foi sua oração. O que tornou Daniel íntimo de Deus foi sua oração; Daniel orava pelo menos três vezes por dia. Davi levantou um tabernáculo de oração e orava várias vezes ao dia, inclusive durante a noite. O próprio Jesus acordava de madrugada para orar e orava por muitas horas.

Guiame: Qual sua dica para aqueles que têm dificuldades de orar?

Joel Engel: A oração não é só falar, há muitas formas de oração. Uma das formas de orar é cantando louvores; o louvor também é um tipo de oração. Orar os Salmos também é outra forma.

E a forma mais fácil que existe é conversar com Deus. Se você está viajando de carro, peça a Deus para acompanhar sua viagem. Uma das coisas que Deus mais gosta é da espontaneidade. Deus gosta desse tipo de relacionamento.

Guiame: Conte uma experiência em que a oração marcou sua vida e ministério.

Joel Engel: Eu já fiz muitas orações que Deus me respondeu de forma específica. Quando eu recebi um chamado de Deus para cuidar de crianças na África, e eu comecei a orar pedindo direção. Por um momento achei que Deus quisesse que eu levasse alimentos, então, no primeiro ano, estabelecemos um projeto para doar alimentos. No segundo ano, Deus me deu a direção de um lugar chamado Kasese, em Uganda, na fronteira com o Congo. Esse é considerado um centro de feitiçaria, visitado por feiticeiros de toda a África. Ali vivem pigmeus, que são canibais, o que torna o lugar extremamente perigoso. Da última vez que o Exército de Uganda entrou na mata, não restou nenhum soldado — os pigmeus mataram todos. O lugar é quase inacessível e Deus me mandou até lá para ministrar e ajudar as crianças.

Quando chegamos, descobrimos que aquele era um lugar de sacrifícios de crianças. Na equipe também estavam jornalistas do Portal Guiame. Saber da morte de crianças nos deixou indignados. Quando eu fui pregar, Deus gerou em mim uma fúria interna e derramou uma unção de guerra, e eu comecei a desafiar aqueles reis e demônios. Comecei a dizer que Jesus é o único Senhor, e ali fiz uma oração que foi como uma sentença: pedi a Deus que se a partir daquele dia alguém voltasse a praticar o sacrifício de crianças, que essa pessoa fosse morta.

A oração que fizemos na África foi como a de Salomão, que tornou-se um decreto. A pregação nesse lugar fez com que todos dobrassem seus joelhos para Jesus. O maior milagre da minha vida foi saírmos de lá vivos, porque tínhamos ordem do rei do local de entrar naquela terra e sair antes do sol se pôr. O rei é um feiticeiro da pesada e não aceitava pastores. Nós ficamos escondidos porque passou do horário e fomos avisados que havia uma emboscada no caminho, porque eles se sentiram ofendidos com a minha pregação. Soubemos que, no dia seguinte, um comboio da ONU foi atacado na região e morreram cerca de 12 pessoas, imaginando que fossem nós.

Deus salvou toda a nossa equipe da morte. Foi um milagre saírmos vivos de um local assim. A oração que marcou foi essa e, a partir daquele dia, cessou o sacrifício de crianças naquele local.

Passado um ano, os feiticeiros decidiram desafiar nosso decreto e nossa oração e voltaram à mesma região para fazer os sacrifícios, dividindo-se em três locais diferentes. Eu soube o que eles estavam planejando e mandei uma mensagem, que foi traduzida para a língua local: se vocês tentarem matar crianças com faca, morrerão pela faca. Se vocês tentaram matar crianças com fogo, morrerão pelo fogo. Eu fiz aquela oração com muita força, eu gritava, eu chorava e senti a ira de Deus ao imaginar que aquelas crianças poderiam ser sacrificadas novamente.

No momento em que acenderam o fogo para o sacrifício, veio um raio do céu e matou 12 feiticeiros em três lugares diferentes. Uma 13ª feiticeira chegou atrasada e vinha de moto, mas também foi atingida pelo raio, mas sobreviveu e testemunhou o fato.

A notícia se espalhou por toda a África e eles tiveram medo de voltar a sacrificar crianças. Essa resposta de oração mudou as nossas vidas e as vidas de milhares de crianças.

veja também