Universal do Reino de Deus marca presença na Índia

Universal do Reino de Deus marca presença na Índia

Atualizado: Sexta-feira, 12 Novembro de 2010 as 7:44

A Índia é o segundo país mais populoso do mundo, perdendo apenas para a China. As reformas econômicas o transformaram em uma das economias de mais rápido crescimento mundial, no entanto, ainda sofre com altos níveis de pobreza, analfabetismo, doenças e desnutrição.

O território indiano é formado por um grande sistema montanhoso que se estende por cinco diferentes nações, conhecido como Himalaia, região que abriga a montanha mais alta do planeta, o Monte Everest. Com uma população diversificada, a língua, a tradição e a religião desempenham um papel importante na organização social e política do país. Embora 80% da população se considerem hindus, a Índia conta também com o segundo maior contingente de muçulmanos no mundo.

Mesmo em uma realidade avessa à fé cristã, há 15 anos, a Igreja Universal do Reino de Deus iniciou o trabalho evangelístico no país, onde mantém 2 Igrejas com capacidades para 300 pessoas cada uma, localizadas no estado de Tamil Nadu na cidade de Chennai, sul do país, local de maior concentração de cristãos.

De acordo com o responsável evangelístico da Índia, pastor Eduardo Costa, o povo que se converte ao Senhor Jesus na Igreja Universal enfrenta muitas barreiras para se manter na fé, por causa das perseguições religiosas. “Quando a pessoa começa a frequentar a Igreja sozinha e a família descobre muitas são obrigadas a se afastar”, declara. O pastor também conta que um dia, na porta da Igreja, estava convidando as pessoas para participarem da reunião, quando foi interpelado por um policial que o impediu de continuar evangelizando.

Apesar das adversidades encontradas por causa da religiosidade, a evangelização com panfletos nas ruas e casas é bem aceita pela população que também é beneficiada por ações sociais (foto acima) realizadas pela IURD. Recentemente, voluntários visitaram a comunidade de Sudhaindra Nagar , e cerca de 150 pessoas puderam usufruir de diversos serviços, como: corte de cabelo, manicure, aferição de pressão e limpeza facial.

Dados do Ministério da Justiça Social e Desenvolvimento do país mostram que aproximadamente 75 mil indianos cometem suicídio a cada ano e que o motivo das mortes está relacionado a problemas sociais como a pobreza, as dívidas, o analfabetismo e, sobretudo, problemas de saúde mental. Já, o pastor Eduardo, afirma que um dos maiores motivos para o suicídio é em decorrência de conflitos familiares. “Muitas jovens, indignadas pela tradição familiar, por terem de se casar com o pretendente escolhido pelos pais, cometem suicídios ou fogem de casa”, relata.

Por pouco, a jovem Selin Preethi , de 26 anos, escapa de fazer parte dessa estatística. Ela conta que, na infância, sofria com abusos sexuais e fortes dores na cabeça.  Além disso, havia constantes desentendimentos com os pais, que a levou a sair de casa e tentar o suicídio cortando os pulsos. “Eu cortei sete veias do meu pulso esquerdo e milagrosamente sobrevivi. Acredito que era Deus agindo na minha vida”, relata

O fato de não ter acontecido nada com ela fez Selin refletir e procurar a solução para os problemas na Igreja Universal, onde encontrou o fim para tanto sofrimento. “O erro estava em mim, eu não colocava Deus como prioridade em minha vida. Quando me entreguei, Deus agiu. Hoje, minha família está em paz e Deus me deu uma pessoa que vou me casar que tem a mesma fé e vontade de buscar o Senhor Jesus. Além disso, eu vivo feliz na presença de Deus e não tenho mais pensamentos suicidas, pelo contrário, tenho desejo de viver cada vez mais a nova vida que recebi do Senhor”, finaliza.

veja também