Usina 21 relembra protestos e incentiva geração socialmente engajada

Usina 21 relembra protestos e incentiva uma geração socialmente engajada

Atualizado: Terça-feira, 12 Novembro de 2013 as 12

Usina 21Jovens, ideias e transformação não é apenas o slogan do Usina 21. O evento, organizado pelo deputado Carlos Bezerra Jr., promove debates relevantes fazendo com que os jovens reflitam em como influenciar na sociedade.
 
A edição 2013 parece ter sido ainda mais relevante, afinal neste ano o Brasil viveu uma grande onda de protestos nas ruas. Por esse motivo, o evento trabalhou o tema “A voz de Deus e a voz das ruas”.
 
O palco do Usina 21 trouxe esses acontecimentos à tona com uma decoração com cartazes semelhantes aos usados nos protestos. Um deles trazia a famosa frase: ‘Não é só por 0,20 centavos’.
 
Na palavra de abertura do evento, Carlos Alberto Bezerra Jr. lembrou que o Usina 21 nasceu de um grupo de amigos que se uniu por um jeito diferente de ser cristão, e deu as boas vindas aos participantes da atual edição. “Nós estamos aqui juntos pra dizer, pra se manifestar, pra protestar, e pra provar que existe um jeito de ser cristão sem ser preconceituoso, sem ser racista, sem ser alienado, sem dar ombros para as coisas pelas quais toda a sociedade está clamando.”
 
O evento contou com a colaboração de pessoas que têm feito a diferença na sociedade em diferentes áreas de atuação. 
 
Na parte da tarde, 35 oficinas foram realizadas. Os temas diversos trataram dons e talentos, família, direitos humanos, evangelho e política, sustentabilidade, fé na internet, protesto e criatividade, capitalismo, espiritualidade no mercado de trabalho. Tudo voltado para o papel do jovem em cada uma dessas áreas.
 
Em entrevista ao GUIAME, Carlos Alberto Bezerra Jr. falou sobre a importância de mostrar ao jovem que ele pode ser peça-chave para a transformação que deseja ver. “Sair às ruas e protestar é muito fácil do que a gente se organizar para requerer e trabalhar pelas mudanças que a gente deseja. A gente entende essas mudanças a partir da ótica do reino de Deus. O Usina discute temas que não são discutidos na igreja, para que eles [jovens] saiam daqui inspirados para trabalharem pela transformação da realidade em suas comunidades e igrejas locais.”
 
“Não estamos aqui com as respostas prontas, mas estamos com as perguntas certas. O desafio é que a gente pense, reflita, dialogue, debata, mas que saia daqui inspirado para transformar esse mundo com um cristianismo diferente do cristianismo da prosperidade, do ‘dinheirismo’, do consumismo, da ostentação. Trabalhamos valores cristãos”, afirmou.
 
Anna Penido, coordenadora do escritório do UNICEF em São Paulo, esteve no Usina e falou sobre o importante papel da educação nessa busca pela transformação da sociedade.
 
Usina 21Em entrevista ao GUIAME, ela frisou essa afirmação. “Assim como a gente é educado para exercer um ofício, assim como a gente é preparado para aprender matemática, português, a gente também precisa ser preparado para exercer a cidadania de uma forma construtiva e participativa. É fundamental trazer essa insatisfação que foi mostrada nas ruas às claras e possa tonalizar tudo isso ajudando esses jovens a entenderem como eles podem ser contributivos de fato, como eles transformar a realidade.” 
 
Realizado no Mackenzie, o evento atraiu um número de pessoas maior do que o esperado. A organização do Usina 21 foi surpreendida com a quantidade de jovens que abraçaram a ideia e foram até o local.
 
Carlos Bezerra, idealizador do evento, falou sobre a quantidade de pessoas e o problema da falta de acomodação para todos. “Foi uma surpresa incrível. A gente não imaginava que haveria uma explosão de público que houve dessa vez. Quem conseguiu entrar foi quem chegou no horário. Mas esse é um bom problema a ser enfrentado”, ponderou.
 
Enquanto algumas pessoas se decepcionaram por não conseguirem entrar no auditório principal do evento, e algumas até terem ido embora, as que conseguiram entrar registraram a alegria em participar. "Foi maravilhoso ver o povo reunido (LOTADÃOOOO ) Usina 2013 inesquecível e que o Reino invada a Rua com nossas atitudes de santidade”, escreveu Edcleide Reis no Facebook.
 
 
Por Juliana Simioni
GUIAME.COM.BR
 

veja também