Vereador evangélico é contra debates sobre sexualidade nas escolas

Vereador evangélico é contra debates sobre sexualidade nas escolas

Atualizado: Quinta-feira, 29 Abril de 2010 as 3:54

Uma audiência pública para debater a educação sexual para crianças da rede municipal de Educação, que estavam utilizando o livro paradidático ''Mamãe, Como eu Nasci?'', será realizada no próximo dia 12. Para o encontro, serão convidados representantes do Ministério Público, da Associação de Pais e Alunos, do Juizado da Infância e da Adolescência, bem como o secretário de Educação, Cláudio Duarte. A iniciativa partiu do vereador André Ferreira (PMDB), que ocupou a tribuna, na última segunda-feira, para criticar a adoção da cartilha pela Prefeitura.

O peemedebista, que é representante dos evangélicos, adiantou que não concorda que os esclarecimentos acerca da iniciação sexual seja debatido nas escolas. Posição contrária à externada pelo secretário Cláudio Duarte. ''O secretário não pode achar que esse tema tem que ser tratado como ele quer. Essa audiência tem a finalidade de esclarecer o poder público dos anseios da sociedade'', afirmou Ferreira.

O vereador Daniel Coelho (PV) também quer esclarecimentos da secretaria sobre o assunto. O verde enviou, ontem, um pedido de informação solicitando que seja esclarecido o custo da aquisição dos livros e os critérios para a sua escolha. ''Essa história não pode parar por aí, quem vai pagar essa conta? O povo fica no prejuízo?'', indagou. O prazo máximo para a resposta da Prefeitura ao pedido de informações é de 30 dias.

Segundo relato do líder governista, Josenildo Sinésio (PT), o prefeito João da Costa (PT) reconheceu, em conversa reservada, que o conteúdo da publicação é ''desagradável''. ''Na mesma hora em que foi informado, o perfeito pediu explicações ao secretário e ordenou que fossem tomadas as medidas necessárias'', destacou o vereador.

veja também