Viciado sobe no púlpito

Viciado sobe no púlpito

Atualizado: Quarta-feira, 22 Setembro de 2010 as 3:37

O luxo, a pompa e o dinheiro encantam e arregalam os olhos, mas na paralela corre um tipo de gente que se deixa encantar pela música de outras flautas. Entre estes estão os caçadores de aplausos, de glória e de fama. Para alcançar o seu tesouro estão dispostos a realizar grandes esforços, mesmo que inclua a privação e o martírio.

O elogio e o aplauso funcionam como entorpecentes e alucinógenos. Estimulam o organismo a liberar grandes quantidades de adrenalina, endorfinas e outras substâncias capazes de proporcionar um grande prazer.

A necessidade de público e de aplausos se torna um vício que clama por doses cada vez maiores. Seu equilíbrio emocional fica dependente da secreção e do consumo de substâncias que o corpo estimulado fabrica. Para alcançar estes estímulos é necessário aprimorar a arte e destreza que atraem mais gente, mais admiração e mais aplauso.

Palcos religiosos ou não, estão repletos de gente viciada neste tipo de droga. Entre os aplauso/dependentes, destacam-se alguns artistas, drags, esportistas, homossexuais, políticos, cantores, pregadores, bandas e dirigentes de louvor. Estes são o prato preferido desta casta demoníaca.

A receita do show inclui pouco pano, muita purpurina, gestos extravagantes e doses cavalares de efeitos luminosos. Em ambientes religiosos destacam-se paletós detonadores, sopros ungidos,  gritos histéricos, cai... cai, pula... pula e rola... rola. Tudo aditivado por amuletos Gospel, desfiles de anjos e / ou demônios e descrições confusas de visões esquisitas e luminosas.

Paulo não se destacou pela necessidade de constranger platéias a este ponto, pois a sua especialidade não era o palco. Durante um de seus discursos houve quem dormisse, caísse e morresse (Atos 20.9). Preferia se misturar com as pessoas na rua, e fazia questão de ser apenas um transeunte.

Para deixar isto bem claro, disse o seguinte: "... jamais andamos buscando glória de homens, nem de vós, nem de outros " (Tm 2.6).

Disto tudo sobrou apenas uma pergunta aparentemente irrespondível: Onde está a árvore que fabrica este tipo de fruta?

Ubirajara Crespo

Ubirajara Crespo   é pastor, escritor, conferencista, editor e diretor da Editora Naós.

Visite o Blog sob Nova Direção -   http://sob-nova-direcao.blogspot.com/

veja também