Vídeo de Piragine Jr. é "censurado" no Youtube

Vídeo de Piragine Jr. é "censurado" no Youtube

Atualizado: Quinta-feira, 7 Outubro de 2010 as 8:35

Depois de ser visto por mais de quatro milhões de pessoas, o vídeo do pastor Paschoal Piragine Jr., presidente da Primeira Igreja Batista de Curitiba, passou a ser bloqueado no YouTube. Agora, o portal de vídeos da Google passou a pedir senha ou registro para que o vídeo possa ser acessado.

Ao tentar acessar o link, lê-se a seguinte mensagem: "Segundo a sinalização da comunidade de usuários do YouTube, este vídeo ou grupo pode ter conteúdo impróprio para alguns usuários".

No vídeo, o pastor Paschoal Piragine Jr. expõe os motivos por que os cristãos não devem votar no PT - e a descriminalização do aborto é uma delas.

Em seu blog, Reinaldo Azevedo, colunista da revista Veja, questiona a medida: "Epa! Aí não dá! Impróprio para quem? Especialmente para os petistas, não? Quantos são os vídeos no YouTube que esculacham os tucanos e todos aqueles que o PT considera adversários? Falar mal do partido, agora, deve ser algo escondido, como se o Internauta usasse a Internet para ver pornografia? É uma forma de censura. Não se trata de expor a intimidade de ninguém ou de calúnia. É uma crítica política, concorde-se ou não com ela".

Depois de ser visto por mais de quatro milhões de pessoas, o vídeo do pastor Paschoal Piragine Jr., presidente da Primeira Igreja Batista de Curitiba, passou a ser bloqueado no YouTube. Agora, o portal de vídeos da Google passou a pedir senha ou registro para que o vídeo possa ser acessado.

Ao tentar acessar o link, lê-se a seguinte mensagem: "Segundo a sinalização da comunidade de usuários do YouTube, este vídeo ou grupo pode ter conteúdo impróprio para alguns usuários".

No vídeo, o pastor Paschoal Piragine Jr. expõe os motivos por que os cristãos não devem votar no PT - e a descriminalização do aborto é uma delas.

Em seu blog, Reinaldo Azevedo, colunista da revista Veja, questiona a medida: "Epa! Aí não dá! Impróprio para quem? Especialmente para os petistas, não? Quantos são os vídeos no YouTube que esculacham os tucanos e todos aqueles que o PT considera adversários? Falar mal do partido, agora, deve ser algo escondido, como se o Internauta usasse a Internet para ver pornografia? É uma forma de censura. Não se trata de expor a intimidade de ninguém ou de calúnia. É uma crítica política, concorde-se ou não com ela".

veja também