Vigília da Última Chance leva salvação a jovens potiguares

Vigília da Última Chance leva salvação a jovens potiguares

Atualizado: Quinta-feira, 23 Dezembro de 2010 as 10:17

Com o objetivo de levar a Salvação da Palavra de Deus para milhares de jovens, o responsável pelo Força Jovem Brasil, pastor Jean Madeira, tem realizado vigílias por todo o País.

O último encontro de fé aconteceu no dia 10 de dezembro, em Natal (RN), durante a "Vigília da Última Chance", onde centenas de jovens decidiram se batizar nas águas (foto abaixo), deixando para trás o passado de vícios e criminalidade. Durante as orações em frente ao altar, era possível ver os participantes jogando e pisando em cima de cigarros e drogas, representando o abandono da vida antiga e o começo de uma nova vida. “Se você, jovem, está aqui nesta noite, ouvindo esta palavra, é porque você tem um chamado. Deus te chama para mudar toda a sua vida e te dá uma oportunidade que talvez seja única; pois três coisas não voltam atrás: uma flecha lançada, uma palavra mal dada e uma oportunidade perdida”, alertou o pastor.

O jovem, Carlos de Oliveira, foi um dos que se batizou nas águas. Ele estava afastado da Igreja há mais de cinco anos e retornou nessa reunião, decidido a mudar de vida. “Quando eu me afastei da presença de Deus, minha vida se tornou um desastre. Eu passei a fumar, beber e a fazer muitas coisas erradas. Eu estava cego e não conseguia enxergar o motivo pelo qual não conquistava nada. Mas decidi que, a partir de hoje, serei uma nova criatura. Após o batismo meu passado ficou para trás e agora tenho certeza de que tudo será diferente, porque estou buscando o único Deus, que é o caminho, a verdade e  a vida, Jesus”, disse.

A participante do grupo, Hortência Paula, de 18 anos, aproveitou a ocasião para relatar a todos a mudança feita por Deus na vida dela.  Ela contou que vivia em depressão por causa do vazio que sentia dentro do coração. "Eu vivia triste e isolada do mundo", relata.

Mas, graças ao apoio recebido pelo grupo Força Jovem, Hortência conta que sentiu nascer dentro dela um grande desejo de servir a Deus, permitindo que ela se tornasse uma vitoriosa. "Eu fui batizada com o Espírito Santo e todo o mal que eu sentia no coração sumiu. Hoje, eu tenho 18 anos e já conquistei minha independência financeira, pois abri minha primeira loja, tenho meu carro zero e meu apartamento", testemunhou.

Os participantes também acompanharam a apresentação da peça “Via Dolorosa”, encenada pela companhia teatral do Força Jovem, “Salvarte”, no qual mostrou o sacrifício feito pelo Senhor Jesus por toda a humanidade.

Para a técnica de fotografia, Katiane Lima, de 20 anos, a vigília ficará marcada na vida dela para sempre, pois as mensagens transmitidas durante o encontro foram profundas. "Para mim, foi uma noite inesquecível. Eu saio desta reunião completamente transformada, pois sei que daqui para frente tudo será diferente em minha vida", destaca. Questionada sobre o momento que mais gostou, ela responde: " Eu gostei de tudo, mas um momento forte foi quando houve a encenação da via dolorosa, pois foi possível compreender o valor do verdadeiro sacrifício que Jesus fez por nós. A cena me fez desejar viver uma vida reta, daqui para frente, e nunca mais entristecê-lo.", afirmou.

A estudante de direito, Sandra Araújo, de 24 anos, também participou da Vigília e ficou impressionada com o impacto que o encontro causou na vida dos que participaram dela. "Eu achei esta Vigília um marco na história da Força jovem do Rio Grande do Norte, pois acompanhar centenas de jovens em frente ao altar, deixando os vícios, foi muito forte. Enquanto, nas noitadas, muitos são apresentados às drogas, aqui eles abandonaram o vício.  Eu creio que muitas almas foram salvas, pois ali vimos os frutos do nosso trabalho, almas sendo libertas, salvas, jovens alegres e felizes na presença de Deus", comenta.

No final da Vigília, os jovens louvaram a Deus ao som dos cantores Gilson Campos, bispo Francisco de Assis e da Banda Alfa, que animaram a madrugada. “A energia e fé que o povo potiguar tem é muito grande. Eles têm garra e não desanimam”, comentou Gilson.

veja também