Visão estratosférica

Visão estratosférica

Atualizado: Quinta-feira, 23 Setembro de 2010 as 7:44

"Ele está assentado sobre o globo da terra, cujos moradores são para ele como gafanhotos; ele é o que estende os céus como cortina e os desenrola como tenda para neles habitar " (Is 40: 22).

"Tu conheces o meu assentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento. Cercas o meu andar e o meu deitar, e conheces todos os meus caminhos " (Sl 139: 2, 3).

Durante o período de louvor do culto que eu estava participando, o pastor que ministrava fez uma pausa nos cânticos, e disse algo que me fez analisar a grandeza de Deus e a forma como Ele cuida de cada um de seus filhos com olhares de amor, apesar de nossas dificuldades e erros recorrentes.

Ele contou uma história sobre um piloto que sobrevoava uma rodovia de mão-dupla, onde podia visualizar um motorista aflito tentando ultrapassar uma carreta.

A cada tentativa de ultrapassagem o motorista do carro se frustrava, pois via que outro carro vinha em sentido contrário. E isso ocorreu durante muito tempo, até que, finalmente, o motorista conseguiu completar a ultrapassagem e seguir ao seu destino esperado.

O piloto via tudo o que acontecia do alto, e tinha vontade de ajudar o motorista aflito indicando a este o melhor momento para a ultrapassagem. Sua posição era privilegiada, visto que conseguia enxergar muitos quilômetros à frente. Se houvesse um rádio comunicador no carro a informação necessária que ajudaria ao motorista poderia ser dada.

O nosso Deus, de um modo infinitamente superior ao piloto, possui uma visão privilegiada, estratosférica, isto é, bem acima da terra, global. Ele enxerga além do visível para o homem. Seu olhar está sobre tudo e todos em todo o tempo. Nenhum detalhe é tão pequeno que escape à sua atenção.

Podemos comparar nossa trajetória de vida  aos motoristas em seus carros  trafegando pelas rodovias. Encontramos muitos obstáculos, muitas “carretas” à nossa frente que nos atrasam ou impedem de  seguir adiante rumo ao objetivo final.

Em alguns momentos poderemos nos sentir impotentes ou sem ajuda para transpor essas barreiras; mas não estamos sós. Nosso Deus está nos guiando com seus olhos de amor e misericórdia, a fim de nos livrar do mal.

"Eis que os olhos do Senhor estão sobre os que o temem, sobre os que esperam na sua misericórdia; para livrar a sua alma da morte e para os conservar vivos na fome " (Sl 33: 18, 19).

Cada carreta à nossa frente simboliza as muitas tribulações que Jesus Cristo nos advertiu que teríamos, mas que, assim como ele venceu, nos foi dada à capacidade de vencê-las também (Jo 16: 33).

Muitas vezes nos esquecemos que Deus está mais interessado em nosso sucesso do que nós mesmos. O nosso sucesso na vida glorifica seu nome. A ressurreição de Lázaro glorificou a Deus, não sua morte (Jo 11)!

Da mesma forma que um rádio comunicador ajudaria aquele motorista aflito a ouvir as coordenadas do piloto, nós também precisamos de algo imprescindível para ouvir as orientações de Deus em nossa jornada pela rodovia da vida: Ter o nosso espírito recriado e sensível, para que a voz do Espírito Santo possa ser ouvida sem interferências em nossos corações.

Com o fim de sermos para louvor da sua glória, nós, os que primeiro esperamos em Cristo; em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa (Ef 1: 12, 13).

"Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus [...] O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus " (Rm 8: 14 e 16).

Mesmo que achemos que a bênção tão esperada está demorando muito, e que há muitos obstáculos nos impedindo de seguir adiante, saiba que Deus está no controle de tudo, enxergando além. Ele espera o momento próprio para nos orientar sobre a melhor estratégia a ser usada para  vencermos. Precisamos estar em sintonia com Seu Espírito e totalmente dependentes do Seu amor.

Devemos ter a humildade de reconhecer que nada somos sem Sua Graça sobre nós. Toda arrogância e prepotência deverão ser expulsas de nossas vidas a fim de termos êxito em todas as coisas. Deus está tão interessado nas coisas espirituais quanto materiais da nossa vida. Erra quem pensa o contrário.

Amado, desejo que te vá bem em todas as coisas e que tenhas saúde, assim como bem vai a tua alma (3 Jo 2).

Tomar decisões ou escolher o caminho a seguir sem a orientação de Deus é extremamente perigoso. Não podemos nos esquecer que nossa visão é limitada. A visão de Deus a nosso respeito é completa, total.

Há caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele são os caminhos da morte (Pv 14: 12).

Uma ultrapassagem sem segurança e proibida na rodovia poderá nos levar à morte; não apenas nossa, mas de outras vidas que estejam sob nossa responsabilidade. Inocentes poderão ser atingidos por causa de nossa irresponsabilidade e imprudência. Daremos conta de todos os nossos atos!

Mesmo que as aparências digam o contrário, não se guie por aquilo que seus sentidos percebem. Eles não são confiáveis do ponto de vista espiritual. Lembre-se: Os que são guiados pelo Espírito, não os que são guiados pelos sentidos humanos. Na esfera sensorial outra voz poderá interferir: A de Satanás, que se transfigura até em anjo de luz para nos ludibriar (2 Co 11: 14).

Precisamos nos entregar sem reservas aos cuidados do Senhor; confiar que seus planos para nós são perfeitos. Os seus pensamentos e caminhos não são os nossos (Is 55: 8).

O Senhor tem uma promessa para aqueles que têm uma aliança com Ele e se entrega aos Seus cuidados:

" E  guiarei os cegos por um caminho que nunca conheceram, fa-los-ei caminhar por veredas que não conheceram; tornarei as trevas em luz perante eles e as coisas tortas farei direitas. Essas coisas lhes farei e nunca os desampararei " (Is 42: 16).

Que o Senhor nos capacite e guie com Seu Espírito e nos encha da Sua Graça, para que possamos glorificá-lo durante toda a nossa trajetória pela “rodovia da vida”; respeitando as placas de advertência, os sinais, conduzindo com toda a prudência a fim de chegarmos ao alvo que Deus planejou para nós.

Mônica Valentim

Mônica Valentim   é pedagoga, com expecialização em Orientação Educacional e Profissional; pós- graduada em Psicomotricidade. Possui especialização em Modificabilidade Cognitiva PEI- Nível I, Jerusalém, Israel. Bacharelanda em Teologia.

veja também