Vitor Belfort diz que pode agradecer a Deus após um nocaute

Vitor Belfort diz que pode agradecer a Deus após um nocaute

Atualizado: Quinta-feira, 25 Agosto de 2011 as 12:15

O apresentador de "CQC" e "A Liga" estreia "Vale Tudo com Rafinha Bastos", programa sobre MMA no UOL, entrevistando o lutador Vitor Belfort.

Entre os temas abordados pelo humorista durante a conversa com o ex-campeão dos meio-pesados, está a religião. Evangélico, Belfort explicou para Rafinha que não há motivos para deixar de agradecer à Deus após nocautear um adversário já que ali estão dois atletas e não duas pessoas comuns brigando.

O porta-voz do UFC no Brasil falou também sobre a importância de sua luta com Anderson Silva, sobre o resultado do combate e confessou que passou alguns dias consolando fãs e amigos. "Não tiro o mérito do Anderson, mas ele deu sorte. Esperava um chute na barriga, mas ele acertou meu queixo. Cai e não tive tempo de armar minha guarda. Foi aí que, com precisão, ele encaixou alguns socos e perdi", analisou.

Um dos primeiros lutadores de vale tudo, o "Fenômeno" - como ficou conhecido já em seu segundo desafio- disse ainda que sabia da importância de sua luta contra Silva e afirmou que ícones devem se enfrentar o tempo todo para que o UFC conquiste ainda mais fãs e seja consolidado em todo mundo.

Belfort falou também dos planos de Dana White em globalizar o esporte, garantiu que o UFC vai educar as pessoas -em especial torcidas organizadas de futebol e brigões de maneira geral ao ensinar o princípio das artes marciais ("respeito físico e moral para todos")- e contou que está abrindo uma academia de MMA em Las Vegas, onde mora.

Vale Tudo com Rafinha Bastos: Belfort explica UFC x religião Mesmo com planos de se aposentar em no máximo quatro anos para se tornar um executivo do UFC, o esportista garantiu que é o "pesadelo de qualquer lutador" quando está focado em seu objetivo.

Às vésperas do UFC Rio, o lutador declarou sua torcida para todos brasileiros que participarão do evento e, com o orgulho de quem praticamente viu o esporte nascer, revelou que mais de 300 mil pessoas tentaram comprar os 14 mil ingressos da edição 134 do UFC.

Nessa entrevista com Rafinha Bastos, Belfort relembrou ainda o início de sua carreira, revelou histórias inéditas -como seu passado de tenista e a viagem de avião com seus adversários antes de sua luta de estreia- e, brincando, ameaçou políticos hipócritas. Histórias que um lutador só poderia contar para um humorista.

veja também