Voluntários do grupo Calebe proporcionam lazer aos idosos no Japão

Voluntários do grupo Calebe proporcionam lazer aos idosos no Japão

Atualizado: Quarta-feira, 30 Março de 2011 as 10:27

O Japão possui uma das maiores populações de idosos do mundo, liderando as estatísticas com o maior número de habitantes centenários. Mas, por outro lado, pesquisas mostram que de cada cinco pessoas com mais de 65 anos, uma vive sozinha e muitas reclamam da solidão.

Diante desse problema, a Igreja Universal do Reino de Deus do Japão mantém um grupo chamado Calebe, formado por membros e voluntários da Igreja, de todas as idades, que oferecem apoio e motivação aos idosos, por meio de terapias ocupacionais, atividades físicas, artesanato, passeios turísticos entre outros programas.

Além do entretenimento, o grupo realiza visitas constantes às idosas solitárias que não recebem a visita dos familiares com a mesma frequência de tempos atrás; ajuda com as compras de mercado; auxilia no transporte dos idosos à Igreja e também ao médico; e oferece orientações sobre cidadania, para que eles desfrutem dos benefícios nos quais têm direito. Nos encontros semanais, os participantes também recebem orações e orientações bíblicas, que proporciona fé e esperança a cada um deles.Para o casal Aiko e Senzo Makita, a atenção recebida fez com que ambos voltassem a ter prazer nas pequenas coisas da vida. "Antes ficávamos em casa com a cabeça repleta de pensamentos negativos. Os passeios realizados pelo grupo nos ajudam a distrair e interagir com outras pessoas. Nas reuniões, aprendemos muito, aqui se ensina a usar a fé. São orientações que nos incentivam a lutar e vencer”, afirma Senzo.

Outra participante do grupo, Aparecida Yamashita, também elogia a iniciativa da equipe e se sente feliz em poder ter as dúvidas esclarecidas. “Ao participar do Calebe, percebi que a minha disposição mudou, nos encontros podemos tirar nossas dúvidas em relação a muitas coisas. É um espaço em que todos compartilham experiências e, com isso, aprendi muito, podendo, hoje, ajudar outras pessoas também”, finaliza Aparecida.  

veja também