Vou desviar-me

Vou desviar-me

Atualizado: Terça-feira, 19 Outubro de 2010 as 9:50

Vou desviar-me sim, mas não da verdade. Aliás, já estou me desviando, mas não da Igreja de Cristo. Desviando-me, sim, dessa igreja podre que está por aí. Desviando-me da igreja mercantilista e manipuladora, que prega um evangelho de negociatas e facilidades. Desviando-me da igreja que esqueceu o céu e prega o paraíso aqui e agora, prometendo coisas que não pode cumprir.

Não entreguei meu cartão de membro, aceito em mais de 50 mil estabelecimentos comerciais no Brasil e no exterior, porque ainda não estava convertido o suficiente para entrar nessa. Não farei mais parte desse corpo siliconado e maquiado que tentam me vender como sendo o corpo imaculado de Cristo. Não comerei a carne, nem beberei o sangue de um cristo milagreiro e capitalista, que nada mais faz do que imitar os ícones da mediunidade e do mercado financeiro.

Não irei mais ao ajuntamento solene só para me emocionar com músicas que endeusam o homem e reduz o Todo Poderoso a um mero escravo de nossos caprichos. Também, não cantarei mais músicas que exigem que Ele me devolva aquilo que não lhe emprestei, nem tampouco roubou de mim. Pelo contrário, aprenderei com Paulo a me contentar com o tenho, e a agradecer pelas bênçãos imerecidas que já recebi.

Não terei mais ouvidos para as distorções da Palavra de Deus para benefício próprio. Nem terei mais paciência para assistir a uma hora e meia de gritos, malabarismos e manipulação psicológica. Não comprarei a nova versão da Bíblia Sagrada, anunciada na TV e feita, com exclusividade, para aqueles que querem crescer no mundo financeiro – bastam-me os muitos livros que prometem sucesso rápido nos negócios, mais aqueles de autoajuda para quem está atolado em dívidas, e, obviamente, se atola um pouco mais pagando caro pelo livro. Aliás, tenho dúvidas se, na nova versão da Bíblia Para o Sucesso Financeiro – ou coisa parecida – não pensaram em atualizar o capítulo 15 do Evangelho Segundo João, para trocar a palavra "frutos" por "lucros".

Vou me desviar desse atalho que me leva mais rápido para lugar algum, e voltar ao caminho apertado e longo, que leva à Glória Eterna. Não aplaudirei mais o "grande homem de Deus" que usa o chavão inventado por ele, e que o ajudou a manipular milhares de incautos neófitos ao longo de sua carreira de mega-pregador, para se lançar na política e passar a exercer o seu ministério – o ministério do dinheiro – no Congresso Nacional ou na Assembléia Legislativa. Nem o pregador que inventa “atos proféticos” para testar o nível de manipulação da massa, que, presa de seu parlatório vazio e confuso, vai repetindo tudo que "o mestre mandou".

Vou me desviar da mentira, do fingimento e do engano e abraçar de corpo e alma a verdade. Porque quero ser livre, e, só a verdade liberta!

Pr. Elias Soares

Elias Soares   é pastor, escreveu artigos literários para a revista "O Poder da Oração", e autor do livro "O espetáculo em Nome da Fé",  onde aborda a ética cristã e sua vivência.

veja também