A voz da Igreja não é política e sim profética

A voz da Igreja não é política e sim profética

Atualizado: Terça-feira, 25 Junho de 2013 as 3:36

megafoneRegistramos aqui os protestos do povo em todo o Brasil contra os desmandos das autoridades em todo nível, desde a presidência da república até a administração municipal.
 
A pec 37 (projeto de emenda constitucional – MP); preço das passagens urbanas, corrupção dos políticos, mal uso do dinheiro público, falta de saúde, de escola, de segurança, etc.
 
A igreja evangélica brasileira não pode fechar os olhos à essa situação. A voz da Igreja não é política e sim profética, falando como falaram os profetas do Antigo Testamento.
 
Queremos que o profeta Habacuque fale para as autoridades brasileiras o que ele já falou para as autoridades da sua geração. Capítulo 2 de seu livro: 
 
1) - Ai daquele que acumula o que não é seu; 
 
2) – Ai daquele que ajunta em sua casa bens mal adquiridos; 
 
3) – Ai daquele que edifica a cidade com sangue; 
 
4) – Ai daquele que dá de beber ao seu companheiro, misturando à bebida o seu furor, e que o embebeda para contemplar as vergonhas; 
 
5) – Ai daquele que diz à madeira – Acorda! E à Pedra munda – Desperta! Pode o ídolo ensinar? 
 
Gosto muito do Profeta Habacuque, como gosto de todos os profetas bíblicos. A mensagem deles sempre é contemporânea. Nada está fora do contexto brasileiro. Habacuque começa a sua mensagem dizendo: “Por que me mostras a iniquidade e me fazes ver a opressão? Pois a destruição e a violência estão diante de mim; e há contendas, e o litígio se suscita. Por esta causa, a lei se afrouxa e a justiça nunca se manifesta, porque o perverso cercou o justo, a justiça é torcida.” (Hc. 1.3-4). 
 
Pergunto: Onde estão os profetas de Deus de hoje?
 
 
- Pr. João Arantes Costa
 

veja também