Wellington Silva, do Fluminense, escuta hinos e gosta de hip hop

Wellington Silva, do Fluminense, escuta hinos e gosta de hip hop

Atualizado: Segunda-feira, 8 Março de 2010 as 12

Para Wellington Silva, 17 anos, os louvores dos hinos evangélicos são misturados às batidas do hip hop. As pipas e o futebol descalço na favela da Vila da Penha foram substituídos por chuteiras Nike e o campo de treinos do Fluminense. Muita coisa mudou na vida do atacante. O menino que raspava o cabelo e era chamado de carequinha quando criança, no subúrbio do Rio, adotou o estilo moicano, veste as roupas de marca que sempre sonhava mas não podia comprar por conta do pouco dinheiro e viu de perto a neve. Mas não perdeu a humildade.

"Escuto muitos hinos e também gosto de hip hop", revela Wellington Silva, com sua timidez exagerada. O pai, Ademir, não repreende a seleção musical do filho. "Sou evangélico, mas não sou fanático. Já esse moicano...", brinca o pai.

Os cultos na Igreja Batista da Penha foram trocados pelos da Igreja frequentada pelo auxiliar técnico de Dunga, Jorginho, em uma igreja da Barra. O sucesso precoce, primeiramente, é agradecido e louvado a Deus. Da religião, vem a lição para o jovem manter a humildade. "Sempre fui assim e continuarei sendo", afirma o jogador.

Em janeiro, Wellington Silva e Ademir desembarcaram na Inglaterra com os termômetros marcando dois graus. A neve que até então só fora vista pela televisão virou realidade. "É incrível, parece papel picado", recorda. Muita coisa mudou na vida dos jovens talentos.

veja também