Alemanha e Reino Unido esperam receber cerca de 50 mil refugiados

Recentemente, o primeiro-ministro britânico, David Cameron também confirmou sua disposição em receber refugiados sírios. Segundo ele, cerca de 20 mil imigrantes são esperados somente pelo Reino Unido.

Fonte: Guiame, com informações do G1Atualizado: terça-feira, 8 de setembro de 2015 14:44
Refugiados aguardam do lado de fora de um campo, na Jordânia. Imagem do final de 2013. (Foto: Muhammad Hamed/Reuters)
Refugiados aguardam do lado de fora de um campo, na Jordânia. Imagem do final de 2013. (Foto: Muhammad Hamed/Reuters)

O crescente fluxo de imigrantes que chegam do Oriente Médio à Europa, em fuga de conflitos e da perseguição promovida por grupos extremistas, como o Estado Islâmico têm levado alguns países a se mobilizarem para receber estes refugiados. Exemplo disto são a Alemanha e o Reino Unido, que estão se preparando para dar assistência a cerca de 50 mil pessoas (vindas da Síria e de outros países).

Apesar da proposta de caráter humanitário, a postura destas nações não agradou a boa parte da coalizão que se posiciona contra a entrada de imigrantes. O ministro do Interior da Baviera disse que a Alemanha mandou "um sinal falso" à Europa. Porém a primeira-ministra alemã Ângela Merkel solicitou ao Parlamento, 6 bilhões de euros em recursos para bancar a assistência aos refugiados.

Recentemente, o primeiro-ministro britânico, David Cameron também confirmou sua disposição em receber refugiados sírios. Segundo ele, cerca de 20 mil imigrantes são esperados somente pelo Reino Unido.

Conforme tratados europeus, o Reino Unido não é obrigado a seguir políticas de imigração europeias. Porém tem atendido à intensa indignação popular que veio à tona com os recentes naufrágios e mortes de imigrantes sírios, que tentavam chegar ao país em barcos e botes.

A ideia do novo planno da Comissão Europeia é pedir que os países-membros acolham cerca de 160 mil refugiados seguindo um sistema de 'cotas' para abrigar estes imigrantes.

O novo plano da Comissão Europeia deve pedir que os países-membros acolham 160 mil refugiados. As cotas levariam em conta população, emprego e riqueza. Alemanha, França e Espanha ficariam com quase dois terços do total.

O Alto Comissariado da ONU para os Refugiados sugere atacar o problema pela matemática. A representação da instituição na Itália pediu que os milionários italianos para doem 15 mil euros cada. Um valor que seria suficiente para que dez famílias sírias vivam sem pobreza extrema por um ano.

Contextualização
A perseguição que grupos extremistas como o Estado Islâmico estão empreendendo contra minorias religiosas e étnicas no Oriente Médio tem se tornado cada vez mais alarmante.

Na busca por instalar um 'Califado' (governo unificado), o grupo terrorista invade cidades e impõe suas leis aos moradores destas, além de adotar medidas brutais, como a exploração sexual (comércio) de meninas e mulheres para se manter financeiramente.

Siga-nos

Mais do Guiame