Aluno cristão é suspenso de escola nos EUA por dizer que existem 'apenas dois gêneros'

O estudante identificado apenas como M.P. é calouro na Exeter High School, escola secundária pública em New Hampshire.

Fonte: Guiame, com informações do APAtualizado: sexta-feira, 19 de novembro de 2021 13:16
Fachada da Exeter High School em Exeter, em New Hampshire. (Foto: Austin Blake Grant / Creative Commons)
Fachada da Exeter High School em Exeter, em New Hampshire. (Foto: Austin Blake Grant / Creative Commons)

Um estudante e atleta de New Hampshire, nos EUA, está processando seu distrito escolar depois que foi suspenso de um jogo de futebol por supostamente expressar sua opinião de que existem “apenas dois gêneros”.

O processo, aberto em 4 de novembro, disse que a suspensão em setembro violou o direito constitucional do estudante à liberdade de expressão e a Declaração de Direitos de New Hampshire porque ele expressou suas crenças religiosas, relatou o Portsmouth Herald.

O rapaz, identificado apenas como M.P., é calouro na Exeter High School, escola secundária pública em Exeter. Ele também pretende proibir a aplicação da política de estudante não-conforme de gênero da Exeter High School por causa do que ele diz ser uma violação de seus direitos da Primeira Emenda.

A política diz que os alunos têm o direito de serem tratados por um nome e um pronome que se relacione com a identidade de gênero do aluno. Também repreende os alunos que intencionalmente e repetidamente se recusam a respeitar a identidade de gênero de outro aluno.

De acordo com a ação, o aluno suspenso havia se envolvido em conversas sobre pronomes da língua espanhola no ônibus. Uma aluna que ouviu a conversa disse que havia mais de dois gêneros, ao que o aluno suspenso argumentou que não.

Logo após o incidente no ônibus, a ação judicial afirmava que os dois alunos trocaram textos sobre identidade de gênero. Esses textos foram entregues à administração, o que resultou na suspensão de um dia.

Mas o processo afirma que os administradores de EHS não tinham o direito de suspender o aluno porque suas mensagens de texto, iniciadas por outro aluno, foram enviadas enquanto estavam fora do campus.

O superintendente da Exeter, David Ryan, disse que está ciente do processo e que a escola está “em processo de revisão desta reclamação com o advogado e poderá compartilhar uma declaração assim que tivermos concluído a revisão”.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições