Após assassinar ex-namorada, homem invade igreja e mata três fiéis

Testemunhas contam que pastor sofria ameaças há um ano; delegado diz que motivação dos crimes ainda será apurada.

fonte: Guiame, com informações do G1

Atualizado: Quarta-feira, 22 Maio de 2019 as 10:05

Imagem do interior da igreja evangélica em Paracatu. (Foto: Ailton Pinheiro/Arquivo pessoal)
Imagem do interior da igreja evangélica em Paracatu. (Foto: Ailton Pinheiro/Arquivo pessoal)

Um homem esfaqueou e assassinou a ex-namorada na noite desta terça-feira (21) no bairro de Bela Vista, em Paracatu (MG), e depois invadiu a Igreja Batista Shalom, na mesma cidade, e matou mais três pessoas a tiros: duas mulheres e um homem.

De acordo com informações da Polícia Militar de Minas Gerais, antes de chegar à igreja, Rudson Aragão Guimarães, 39 anos, foi até a casa da mãe, onde estava a ex-namorada — Heloísa Vieira, de 59 anos, e a golpeou com uma faca na altura do pescoço. A vítima foi resgatada pelo Corpo de Bombeiros, por volta das 19h45, levada ao hospital municipal, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Após cometer o crime, ele seguiu para a Igreja Batista Shalom, que fica a três quarteirões da casa. "Ele chegou alucinado e com falas desconexas, procurando pelo pastor e dizendo que iria matar ele", afirmou o tenente-coronel da PM Luiz Magalhães. No início da investigação, a PM havia informado que o pastor era casado com a ex-namorada do assassino, mas a informação foi retificada.

 

Rudson pulou a grade de proteção da Igreja Batista Shalom, onde acontecia uma reunião fechada — cerca de 20 pessoas estavam presentes no local.

O homem, que é ex-militar das forças armadas, portava uma arma modelo garrucha, calibre 36, entrou no templo e efetuou o primeiro disparo na cabeça do pai do pastor da igreja, identificado como Antônio Rama, de 67 anos.

Momentos depois, atirou contra outra mulher e fez uma segunda como refém. As duas foram identificadas como Rosangela Albernaz, de 58 anos, e Marilene Marins de Melo Neves, de 57.

A ação do criminoso só parou depois que policiais militares, que realizavam um patrulhamento na região foram até o local. No momento em que a PM chegou ao templo, Rudson disparou contra a terceira vítima. Em seguida, ele foi atingido pelos militares na altura do ombro.

O delegado Marcelo Alexandre dos Santos disse que ainda está apurando os fatos.

“Ainda é prematuro dizer que se trata de crime passional. É preciso ouvir mais pessoas porque é temerário no momento dizer que é crime passional. As pessoas que estavam no local disseram que o pastor vinha sendo ameaçado por ele há algum tempo. Nossa linha de investigação é descobrir a motivação e porquê ele tinha essa desavenças, fazia essas ameaças contra o pastor”, disse Marcelo.

Os três atingidos na igreja não resistiram aos ferimentos. O pastor fugiu do local no momento dos tiros, pulou o muro mas fraturou o tornozelo.

O assassino foi levado para um hospital e permanece internado em estado grave. A PM informou que evitou que um grupo de pessoas invadisse o prédio para matar o homem.

* O conteúdo da matéria foi retificado.

veja também