'Ateísmo é irremediavelmente simplista', diz ex-ateu professor de Oxford

O professor de ciências e teólogo disse que abandonou o ateísmo pelo cristianismo porque oferecia uma "imagem maior das coisas".

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Segunda-feira, 16 Setembro de 2019 as 11:09

Alister McGrath (à esquerda) debatendo Deus e religião com Bret Weinstein (à direita). (Foto: Reprodução/Premier Christian Radio)
Alister McGrath (à esquerda) debatendo Deus e religião com Bret Weinstein (à direita). (Foto: Reprodução/Premier Christian Radio)

O professor de Oxford e ex-ateu Alister McGrath disse em um debate recente sobre ciência e religião que, para ele, o ateísmo é "irremediavelmente simplista", enquanto o cristianismo oferece uma estrutura mais convincente para explorar a ciência.

"Eu senti que [o ateísmo] era irremediavelmente simplista, ou pelo menos as formas que eu conhecia. E eu acho que o que realmente me atraiu ao cristianismo foi esse profundo sentimento de que ele me ofereceu uma imagem maior das coisas", disse ele.

Alister McGrath é citado pela filha do vice-presidente americano Mike Pence, Charlotte, como uma das pessoas que causaram um impacto em sua fé ao orientá-la de volta às crenças cristãs.

Um dos mais importantes apologistas cristãos da atualidade, McGrath  diz que o cristianismo lhe deu “uma maneira de entender a mim mesmo, a nosso mundo, e também fornecer espaço conceitual para a ciência”.

“Em outras palavras, continuei a amar a ciência como algo que realmente importava, mas com uma estrutura na qual eu poderia encaixá-la", declarou.

O professor McGrath estava debatendo o biólogo americano Bret Weinstein, uma das principais vozes da 'dark web intelectual' que não acredita na existência de uma divindade sobrenatural.

Weinstein foi professor de biologia na Evergreen State College, em Washington, até 2017, quando foi forçado a se afastar depois de criticar um 'Dia da Ausência' que sugeria que estudantes e funcionários brancos deveriam ficar em casa.

Embora ele não acredite em uma divindade, Weinstein reconheceu que Deus era um "truque" que as pessoas precisavam aprender do certo do errado.

"No catolicismo, o fato de você fazer algo errado conta contra você de uma maneira que você pode se livrar da dívida, mas precisa confessá-la a alguém que está em posição de lhe dar orientação", disse ele.

"Novamente, é um truque. Ensina corretamente que isso está errado através de algum mecanismo que precisa ser instanciado no mundo real e que pode ser feito através de metáforas", explicou.

Ele admitiu que não conseguia pensar em nada que pudesse ser tão eficaz para instilar esse tipo de bússola moral nas pessoas.

"Você pode, se você está ciente de que não há ninguém lá realmente assistindo, escrever um código que seja igualmente eficaz para que as pessoas não se comportem dessa maneira? Isso vai ser difícil", disse.

"Por outro lado, não tenho certeza se temos uma escolha. Isso deve ser feito agora através de insight e iluminação e isso não será fácil", acredita.

O professor McGrath argumentou que o cristianismo não servia apenas como uma "função útil" na sociedade, mas que era a existência de Deus que dava sentido aos conceitos de certo e errado.

"Eu acho que uma das coisas importantes sobre acreditar em um Deus justo é esse profundo sentimento de que, quando a sociedade dá muito errado, há algo contra o qual estamos sendo julgados", disse ele.

"E se você observar, por exemplo, a Alemanha no final dos anos 30, verá um ressurgimento do tipo de abordagem que você e eu provavelmente chamaríamos de 'lei natural'. Em outras palavras, a lei está sendo manipulada para, de fato, todas essas coisas. Tem que haver alguém acima disso que seja capaz de dizer "isso não está certo".

"Eu acho que há muitas razões para pensar que nós, como seres humanos, estamos tentando ver como nos encaixamos em uma imagem maior. Se você articular isso em termos de Deus, na verdade, estará se encaixando em uma imagem maior que realmente lhe dá uma noção de quem você é. Qual é o objetivo das coisas ".

O debate foi filmado na frente de uma plateia ao vivo no Institute of Mechanical Engineers em Westminster para o primeiro episódio da segunda temporada da série The Big Conversation da Unbelievable? (A Grande Conversa da Inacreditável?).

veja também