Biólogo Richard Dawkins assina declaração contra transição de gênero em crianças

O famoso humanista divulgou a “Declaração sobre os Direitos das Mulheres com Base no Sexo” no Twitter e pediu que seus seguidores também assinassem.

Fonte: Guiame, com informações do The Christian Post Atualizado: sexta-feira, 3 de dezembro de 2021 19:38
Richard Dawkins é contrário à ideologia de gênero. (Foto: Greg Salibian/Fronteiras do Pensamento).
Richard Dawkins é contrário à ideologia de gênero. (Foto: Greg Salibian/Fronteiras do Pensamento).

O famoso biólogo e humanista Richard Dawkins assinou uma declaração contra a ideologia de gênero e o uso de bloqueadores de puberdade para transição de gênero em crianças

Na segunda-feira (28), Richard divulgou o link da “Declaração sobre os Direitos das Mulheres com Base no Sexo” em sua conta no Twitter  e pediu que seus seguidores também assinassem o documento. 

A declaração foi organizada pela Women's Human Rights Campaign, uma organização que defende os direitos das mulheres biológicas. O documento em oposição à agenda LGBT afirma que a ONG “desafia a discriminação que vivenciamos com a substituição da categoria de sexo pela de 'identidade de gênero”.

A declaração se opõe à cirurgia de mudança de gênero e ao uso de bloqueadores da puberdade em crianças. 

“O conceito de 'identidade de gênero' é cada vez mais usado para 'redesignar o gênero' de crianças que não se enquadram nos estereótipos sexuais ou que são diagnosticadas com disforia de gênero”, diz a declaração. 

"As intervenções médicas, que apresentam um alto risco de consequências adversas de longo prazo na saúde física ou psicológica de uma criança, como o uso de hormônios supressores da puberdade, hormônios do sexo cruzado e cirurgia, são usadas em crianças que não são competentes em termos de desenvolvimento para dar consentimento total, livre e informado”.

O documento também condena o uso da linguagem neutra em documentos, estratégias e ações da ONU.  Segundo a declaração, essas mudanças geraram confusão e corre o risco de minar a proteção dos direitos humanos das mulheres.

“A confusão entre sexo e 'gênero' contribuiu para a crescente aceitabilidade da ideia de 'identidades de gênero' inatas e levou à promoção do direito à proteção de tais 'identidades', levando à erosão do ganhos obtidos pelas mulheres ao longo de décadas”, afirma.

De acordo com a Women's Human Rights Campaign, a declaração já foi assinada por mais de 26 mil pessoas em mais de 153 países. 



Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições