Brasil sediará 'maior evento conservador do mundo'

Conferência, que ocorre todos os anos nos EUA, é organizada pela União Conservadora Americana.

fonte: Guiame, com informações da Folha

Atualizado: Quinta-feira, 15 Agosto de 2019 as 11:23

Donaldo Trump discursando na Conferência de Ação Política Conservadora 2019, nos EUA. (Foto: Reprodução/Ohio Star)
Donaldo Trump discursando na Conferência de Ação Política Conservadora 2019, nos EUA. (Foto: Reprodução/Ohio Star)

O Brasil sediará, em outubro, uma reunião da Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC), o mais tradicional evento conservador nos EUA. A notícia foi dada pelo deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) nesta quarta-feira (14).

O parlamentar e filho do presidente Jair Bolsonaro disse em uma rede social que a conferência no Brasil ocorrerá nos dias 11 e 12 de outubro, em São Paulo.

"É com grande satisfação que após meses de trabalho anunciamos que o maior evento conservador do mundo, CPAC, será realizado pela primeira vez no Brasil", escreveu o deputado.

"Em breve divulgaremos grandes nomes da direita mundial que se farão presentes", concluiu. 

O CPAC é uma conferência que ocorre todos os anos nos Estados Unidos, organizada pela União Conservadora Americana.

As reuniões nos Estados Unidos costumam receber as principais vozes do conservadorismo naquele país, sendo que o presidente Donald Trump foi o orador de honra de todas as edições anuais desde que chegou à Casa Branca.

O evento será uma espécie de filial da CPAC. Terá o selo oficial da conferência conservadora, mas não será o encontro anual — a edição de 2019 nos EUA já ocorreu e a de 2020 tem data e local agendados.

O evento em São Paulo faz parte de um plano de internacionalização da CPAC, disse Eduardo Bolsonaro à Folha, que afirmou também que os convidados que viajarão ao Brasil estão em fase de negociação.

Ele afirmou ainda que o presidente Jair Bolsonaro deve participar do encontro em São Paulo.

"Estamos pensando em trazer algumas personalidades de alto escalão do governo Trump. Não posso falar agora porque ainda está em fase de tratativas, quem está fazendo essa contrapartida são os americanos do CPAC. Mas certamente tem grandes nomes", declarou o deputado.

O único participante confirmado até o momento pelo parlamentar foi Matt Schlapp, presidente da União Conservadora Americana.

De acordo com Eduardo, o plano de internacionalização da organização conservadora inclui eventos com o "selo CPAC" já realizados no Japão e na Austrália, além de uma possível reunião em Israel. 

O parlamentar tem se colocado como o principal interlocutor das ideias conservadoras de Trump na América do Sul. Eduardo também deve ser indicado pelo pai para ser o novo embaixador do Brasil nos EUA.

Em dezembro, ele ajudou a organizar a Cúpula Conservadora das Américas, um evento realizado em Foz do Iguaçu (PR) e reuniu expoentes do então governo eleito de Bolsonaro e ideólogos conservadores.

veja também