Deputados querem vetar entrada de pastor no Reino Unido por discurso ‘contra gays’

Além dos políticos, uma petição contra a visita de Franklin Graham a um evento cristão foi promovida por uma pastora anglicana e já reúne 4.600 assinaturas.

fonte: Guiame, com informações de The Guardian

Atualizado: Sexta-feira, 8 Dezembro de 2017 as 5:30

Deputados querem vetar entrada de pastor no Reino Unido por discurso ‘contra gays’. (Foto: Alamy Stock Photo)
Deputados querem vetar entrada de pastor no Reino Unido por discurso ‘contra gays’. (Foto: Alamy Stock Photo)

Uma visita planejada pelo pastor Franklin Graham em 2018 ao Reino Unido está sofrendo a oposição de políticos britânicos, que consideram seus discursos “homofóbicos” e “islamofóbicos”.

Graham estará em Blackpool, na Inglaterra, para o “Blackpool Festival”, organizado pela Associação Evangélica Billy Graham, na qual ele preside. No entanto, alguns deputados da cidade pediram a secretária de Estado para os Assuntos Internos, Amber Rudd, para recusar sua entrada no Reino Unido, alegando que seus comentários “violam as leis britânicas sobre discurso de ódio”.

Uma petição contra a visita do pastor foi promovida por uma pastora anglicana e já reúne 4.600 assinaturas, de acordo com o jornal britânico The Guardian. “Como cristã e líder de uma igreja que acolhe as pessoas LGBT, estou horrorizada que outras igrejas estejam convidando alguém com esse discurso de ódio”, afirmou Nina Parker.

O deputado Paul Maynard se dirigiu a Amber Rudd sugerindo que ela tenha “cautela” com a visita de Graham ao Reino Unido. Gordon Marsden, outro deputado de Blackpool, disse que o evangelista poderia violar a legislação do Reino Unido sobre discurso de ódio. O parlamentar Afzal Khan alegou preocupação com a “divisão” que a semeadura de Graham pode provocar no país.

O que os deputados e líderes anglicanos consideram discurso de ódio contra muçulmanos, foi defendido por Graham como uma oposição ao terrorismo. “O Islã declarou guerra contra o mundo. É chegado o momento de reconhecer isto e responder decisivamente”, declarou o pastor, após uma onda de ataques na Europa. “Eu não sei quanto a vocês, mas eu não quero viver sob o Islã. Eu não vou dobrar meus joelhos para ninguém, exceto Deus Todo-Poderoso”.

No ano passado, ele ainda revelou que Barack Obama nasceu em um lar muçulmano e permitiu que a Irmandade Muçulmana se infiltrasse no governo dos EUA nos níveis mais altos, durante sua presidência. Ele também disse que o governo Obama estava promovendo “uma agenda gay” e falou sobre a visão bíblica do casamento entre homem e mulher.

Diante das alegações levantadas pelos opositores à visita do pastor, um porta-voz da Associação Evangélica Billy Graham disse que está com um foco diferente. “Será um evento positivo e encorajador, com música e também uma mensagem de Franklin Graham sobre a esperança que pode ser encontrada através de um relacionamento com Jesus Cristo”.

veja também