Desenhista cristã é vítima de ataques de ódio por se recusar promover causa gay

Uma campanha de ódio promovida pelos movimentos LGBT e BLM destruiu o negócio da jovem cristã Emily Arunt.

fonte: Guiame, com informações da CBN News

Atualizado: Terça-feira, 13 Outubro de 2020 as 9:59

A cristã Emily Arunt é acusada de homofóbica por se recusar a desenhar bandeira trans. (Foto: Reprodução / CBN News)
A cristã Emily Arunt é acusada de homofóbica por se recusar a desenhar bandeira trans. (Foto: Reprodução / CBN News)

A arte de desenhar tem sido a paixão de Emily Arunt desde criança. “Aos 11 anos, vi pessoas desenhando e animando online”, disse a jovem, que desejou fazer o mesmo profissionalmente.

Desde então, Arunt se tornou conhecida como Lupis Vulpes, uma animadora renomada conhecida por seus personagens de animais e com mais de 200.000 assinantes em seu canal no YouTube.

Recentemente, a jovem começou a enfrentar hostilidade quando se recusou dois pedidos de clientes. O primeiro a encarregou de desenhar um personagem e depois pediu que ela incluísse a bandeira do movimento transgênero.

"Eu disse a eles que não me sinto confortável fazendo isso e que sou cristã", conta.

Em seguida, Arunt diz que outro cliente insistiu que ela doasse dinheiro para promover a organização, Black Lives Matter.

"Eles queriam que eu ganhasse muito dinheiro para a organização e também anunciasse, mas parecia estranho e manipulador, então eu não fiz isso", explica.

Ataques de ódio

Depois disso, o mundo de Arunt desabou de repente. Aconteceu enquanto ela dirigia para a universidade Regent. "Meu telefone começou a explodir com mensagens e alertas de pessoas", disse ela.

A comunidade de animação rapidamente se voltou contra ela, começando o que é conhecido como "chamada oficial", ou seja, pelo que rotulou como suas "visões transfóbicas e homofóbicas".

Isso levou a um documento online de seis páginas completo com links para capturas de tela e postagens em mídias sociais detalhando seus supostos crimes.

Vários vídeos destacaram o que ela fez, bem como sua resposta em vídeo aos críticos, em que ela não abordou diretamente suas alegações, mas em vez disso, focou em compartilhar o Evangelho.

O pastor Lance Bacon leciona na Regent University e se tornou um mentor de Arunt. Ele admira como ela respondeu e as perguntas que ela fez a ele.

"Fiquei muito feliz com o fato de que ela não perguntou 'como posso encontrar representação legal, o que posso fazer sobre a renda, protegendo meus direitos', mas em vez disso ela disse - 'como posso ter certeza de responder como uma cristã e que aproveito esta oportunidade para deixar Deus me desenvolver e mostrar amor cristão?'”, disse ele.

Apesar das exigências de seus críticos online, Arunt não se desculpará. Então, a comunidade de animação que costumava elogiar e encomendar seu trabalho agora a colocou na lista negra.

“No que diz respeito ao meu negócio, acredito que esteja destruído”, disse ela. Mas Arunt não está desistindo de sua educação.

“O Senhor me disse para ir para o Regente, então vou continuar a ir para o Regente até que o Senhor feche a porta”, explicou ela.

A jovem acredita que Deus usará a campanha de ódio para seus propósitos.

"Do lado de fora, parece que perdi, mas realmente acho que isso foi uma vitória para o Senhor. Se isso pudesse ter ajudado uma pessoa a encontrar Cristo, então vale a pena perder todo o meu negócio", disse ela.

Negócio de sucesso

Ante disso, o negócio de Arunt teve tanto sucesso que ela o usou para pagar a faculdade. Até agora, ela cobriu sua mensalidade, acomodação e alimentação para seu primeiro ano e o semestre de outono de seu segundo ano.

"Eu sei que é apenas o Senhor e Ele tem me abençoado muito", disse Arunt.

Mas a jovem também sabe há algum tempo que seu testemunho público é arriscado. Em sua biografia no Twitter, ela se identifica abertamente como uma "seguidora de Jesus Cristo".

“Eu meio que me destaquei nesta comunidade como um dedo machucado porque amo a Cristo e não desenhei as mesmas coisas que outras pessoas desenhariam”, explicou ela.

veja também