Em discurso aos evangélicos, Trump diz que uma nação sem fé “não pode prosperar”

Donald Trump lançou a iniciativa “Evangélicos por Trump” em uma igreja formada em sua maioria por latinos, nos EUA.

fonte: Guiame, com informações do Religion News Service

Atualizado: Segunda-feira, 6 Janeiro de 2020 as 12:38

Líderes evangélicos oram pelo presidente Donald Trump na Igreja El Rey Jesús, em Miami. (Foto: AP/Lynne Sladky)
Líderes evangélicos oram pelo presidente Donald Trump na Igreja El Rey Jesús, em Miami. (Foto: AP/Lynne Sladky)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou ser favorecido por Deus durante um discurso aos evangélicos na noite de sexta-feira (3), durante o lançamento de uma campanha destinada aos evangélicos.

“Eu realmente acredito que temos Deus do nosso lado”, disse Trump à cerca de 5.000 pessoas reunidas na Igreja El Rey Jesús, em Miami. O encontro marcou o lançamento da “Evangélicos por Trump”, uma iniciativa para sua candidatura à reeleição em 2020. 

O evento ocorreu semanas após uma publicação da revista evangélica Christianity Today, em dezembro, que pedia a remoção de Trump do cargo. O editor-chefe da revista, fundada pelo famoso evangelista Billy Graham, descreveu Trump como “moralmente perdido e confuso” e apoiou o processo de impeachment contra ele.

Na época, o evangelista Franklin Graham expressou seu desapontamento e disse que, nas últimas eleições, seu pai “votou em Donald Trump”. O presidente classificou o Christianity Today como “extrema esquerda” e buscou reforçar seu apoio entre os evangélicos.

Em seu discurso na sexta-feira, Trump descreveu os EUA como uma nação que não foi “construída por socialistas que odeiam a religião”, mas por “patriotas que vão à igreja, adoram a Deus e que amam a liberdade”. 

“Uma sociedade sem religião não pode prosperar, uma nação sem fé não pode durar, porque a justiça, a bondade e a paz não podem prevalecer sem a glória do Deus Todo-Poderoso”, disse Trump

Trump passou grande parte do discurso abordando assuntos que vão de interesse ao público cristão, como a liberdade religiosa, Israel e a oposição de seu governo ao aborto. “Acima de tudo na América, não adoramos o governo, adoramos a Deus”, disse Trump seguido de aplausos da multidão.

O evento teve a participação de vários líderes evangélicos, que oraram por Trump. A evangelista Paula White, recentemente nomeada conselheira espiritual da Casa Branca, o pastor Jack Graham e o pastor Jentezen Franklin estavam entre os presentes.

Trump e os evangélicos latinos

A Igreja El Rey Jesús, uma congregação de membros de língua espanhola, reforça a mensagem de Trump entre os evangélicos hispânicos. A escolha do público foi elogiada pelo Rev. Samuel Rodriguez, presidente da Conferência Nacional Hispânica de Liderança Cristã nos EUA.

“De acordo com pesquisas de opinião pública, 29 a 30% dos latinos votaram no presidente Trump em 2016. As forças motrizes por trás desse apoio latino-americano podem, desta vez, obter um apoio ainda maior: valores de fé e oportunidades econômicas”, disse Rodriguez ao Religion News Service.

Tony Suarez, vice-presidente da organização hispânica, disse que participou do encontro porque apoia o presidente Trump e acredita que evangélicos latinos fazem o mesmo.

“Além de um artigo do (Christianity Today) que acredito ser uma anomalia, o apoio evangélico ao nosso presidente é o mais forte do que nunca”, disse Suarez. “Além do apoio evangélico, ninguém esperava que o presidente Trump recebesse grande parte dos votos latinos, como ele fez em 2016 e eu prevejo que será ainda maior em 2020”.

veja também