Estudante cristã é forçada a fazer oração islâmica para “passar de ano”, nas Filipinas

A aluna foi forçada por seu professor a fazer uma oração islâmica em uma mesquita, para ser aprovada em sua disciplina.

fonte: Guiame, com informações de The Christian Post

Atualizado: Sexta-feira, 23 Junho de 2017 as 1:15

Imagem ilustrativa. Menina palestina chorando na travessia da Cisjordânia. (Foto: Reprodução)
Imagem ilustrativa. Menina palestina chorando na travessia da Cisjordânia. (Foto: Reprodução)

Mesmo sendo cristã, uma estudante foi forçada por seu professor a fazer uma oração islâmica para ser aprovada em sua disciplina, nas Filipinas.

Segundo a organização Portas Abertas, Jen-Jen passou a frequentar uma Escola Bíblica no sul do país, onde aprendeu sobre as Escrituras ouviu os ensinamentos sobre a salvação de Cristo.

Mas em sua escola regular, Jen-Jen foi forçada a ir contra sua nova fé quando foi forçada por um professor a memorizar uma oração muçulmana, a fim de ser aprovada.

“Apesar de ser desconfortável, Jen-Jen memorizou as palavras da oração para recitar ao professor. Mas em vez de fazer um teste oral, o professor anunciou que os estudantes seriam obrigados a fazer a oração em voz alta numa mesquita”, disse a organização.

A estudante e outra colega cristã tentaram explicar ao professor que elas não poderiam orar em uma mesquita, por serem seguidoras de Jesus. Mas o professor ignorou o pedido e disse para elas se afastarem de Cristo.

“Você deve cumprir a tarefa ou então vai reprovar nesta matéria. Você deve voltar à sua fé islâmica”, teria dito o professor.

Jen-Jen foi forçada a completar a longa caminhada até a mesquita usando um véu muçulmano, mesmo queimando em febre. A estudante estava tão fraca que perdeu a consciência e desmaiou. Depois de despertar, o professor não desculpou a estudante por não ter ouvido a mensagem completa do imame muçulmano.

“Desde o dia na mesquita, Jen-Jen tem sido pressionada para se conformar com muitas outras práticas muçulmanas, como o jejum durante o mês do Ramadã. Além disso, outros estudantes também têm provocado e intimidado a estudante por causa de sua fé”, Portas Abertas acrescentou.

Jen-Jen, que está agora na oitava série, ainda não falar mal de seus professores e colegas muçulmanos, no entanto, e ela continua a ir à igreja, com o objetivo de um dia se tornar um professor si mesma.

“Eu quero ajudar as crianças como eu. Quero mostrar a elas o amor de Jesus que eu experimentei. Eu também quero ajudar o meu povo a ler e escrever para que eles também leiam a Bíblia sozinhos”, disse Jen-Jen.

Embora as Filipinas não faça parte da lista de países que mais perseguem cristãos, há certas áreas onde os cristãos são uma minoria. As regiões do sul do país tem sido alvo de uma onda de terrorismo islâmico, como resultado de grupos afiliados ao Estado Islâmico que estão ocupando a cidade de maioria muçulmana Marawi.

O exército filipino está avançando em sua campanha para libertar a cidade. Enquanto isso, muçulmanos locais estão arriscando suas próprias vidas para salvar seus vizinhos cristãos.

veja também