Filho de presbítero se reconcilia com Deus antes de ser morto a tiros: “Me perdoa”

O jovem Herick Costa Nunes foi morto após se envolver em uma briga em Vila Velha, no Espírito Santo.

fonte: Guiame, com informações da Gazeta Online

Atualizado: Terça-feira, 18 Junho de 2019 as 2:22

Herick Costa Nunes foi assassinado a tiros aos 21 anos em Vila Velha. (Foto: Arquivo Pessoal)
Herick Costa Nunes foi assassinado a tiros aos 21 anos em Vila Velha. (Foto: Arquivo Pessoal)

Um jovem de 21 anos, filho de um presbítero da Assembleia de Deus, pediu perdão a Deus instantes antes de morrer, após ser baleado durante uma feira gastronômica, em Vila Velha (ES)  na noite desta sexta-feira (7).

“Deus, me perdoa! Me perdoa, Deus… Vou morrer! Cadê o meu pai?”. Essas foram as últimas palavras ditas por Herick Costa Nunes, que foi assassinado a tiros após uma discussão na Rua Minas Gerais, em Ponta da Fruta, por volta das 22h.

Segundo familiares, Herick participava de uma feira gastronômica e artesanal acompanhado da namorada, um irmão dele e a cunhada. O jovem e o atirador, Ivanildo Santos da Cruz, 39 anos, iniciaram uma discussão porque o suspeito teria mexido com a namorada de Herick.  

“A gente nunca confirma o que os nosso olhos não viram. Posso relatar informações que me deram. Segundo o irmão que estava com ele, o Herick estava lanchando e certa pessoa começou a dar ousadia com namorada dele. Ele tirou ela para outro lado e o homem foi insistente. Como ele insistiu, Herick foi perguntar o que estava acontecendo. Aí esse rapaz tirou a arma e atirou no meu filho”, disse o presbítero Alex Sandro Coutinho Nunes, 49 anos, à Gazeta Online.

Herick foi atingido com dois disparos e foi levado para um hospital do município, mas não resistiu aos ferimentos. Ivanildo tentou fugir em um veículo, mas foi perseguido e agredido por pessoas que estavam flagraram o crime.

Por causa dos ferimentos, o suspeito foi encaminhado para o Hospital São Lucas, em Vitória. A Polícia Civil informou que ele foi autuado em flagrante por homicídio.

Momento de perdão

Aguardando atendimento para liberar o corpo do filho no Departamento Médico Legal (DML) de Vitória, o presbítero disse que o filho era um “menino trabalhador, quieto e sossegado. Ele era uma pessoa do bem e morreu como mais uma vítima desse mundo violento”, disse à Gazeta Online.


Alex Sandro Coutinho Nunes, pai de Herick Costa Nunes, foi ao DML liberar o corpo do filho assassinado a tiros em Vila Velha. (Foto: Vitor Jubini)

Alex Sandro atua há sete anos como presbítero na Igreja Assembleia de Deus - Ministério Nova Vida, em Ponta da Fruta. Além das pregações, o presbítero faz evangelismo nas ruas, em casas de recuperação para dependentes químicos e para famílias que convivem com viciados em drogas.  

Ele conta que criou Herick na igreja, mas seu filho estava afastado e visitava os cultos “de vez em quando”. “O que me conforta é saber que antes de morrer ele disse: ‘Me perdoa, Deus. Deus, me perdoa’”, lembra o presbítero.

Ainda que os tiros tenham matado seu filho, Alex Sandro perdoa o assassino. “A gente já sabe o que aconteceu e a gente perdoa essa pessoa. O que a gente espera é que essa pessoa se recupere, que Deus possa transformá-la e que a sua família não sofra como a gente”, disse.

“Mesmo que ele tenha apertado o gatilho para matar o meu filho, desejo que a família dele não sofra a perda que nós sofremos. Não se paga o mal com mal. Se não tiver amor no coração, não adianta nada nessa vida”, acrescentou.

O presbítero ainda deixou uma mensagem: “Se você tem o seu pai e sua mãe, viva o máximo com eles. Aproveite ao máximo porque o dia de amanhã nós não sabemos. Viva cada momento: abrace, se você vai dizer que ama, diga agora”.

“Agora, minha luta para ajudar as pessoas vai ficar ainda mais forte”, completou. “Eu vou lutar ainda mais pelas famílias que estão sofrendo com seus filhos correndo o risco de morrer por causa das drogas. Meu filho não tinha envolvimento com nada de errado, mas vou dedicar mais e mais o meu tempo e a minha vida para salvar outras vidas”.

veja também