Idosa aprende a ler com a Bíblia e faz faculdade aos 73 anos: “Deus foi meu professor”

Allice Serafim aprendeu a ler com a Bíblia em casa e aos 73 anos está realizando o sonho de cursar Engenharia.

fonte: Guiame, com informações do Diário da Região e G1

Atualizado: Quarta-feira, 4 Março de 2020 as 11:14

Allice Serafim, 73 anos, é aluna do curso de Engenharia de Produção. (Foto: Arquivo Pessoal)
Allice Serafim, 73 anos, é aluna do curso de Engenharia de Produção. (Foto: Arquivo Pessoal)

Aos 73 anos, Allice Serafim está realizando o sonho antigo de voltar para a sala de aula. Ela está cursando Engenharia de Produção em uma faculdade de Catanduva, no interior de São Paulo, e se tornou uma inspiração para os jovens colegas de classe.

Quando era criança, aos 8 anos, Allice foi impedida pelo pai de terminar a escola. Mais tarde, aos 18 anos, ela se casou e também foi impedida pelo marido. “Mulher naquele tempo não tinha que estudar e sim casar e cuidar da família”, disse ao G1.

Com um caderno e uma Bíblia na mão, Allice aprendeu a ler dentro de casa. Foi a partir disso que surgiu o sonho de terminar os estudos e cursar uma faculdade. “Falei pra Deus ser meu professor”, contou ao Diário da Região.

Allice trabalhou em uma gráfica de São Paulo servindo café por 20 anos, até o marido falecer. Ela voltou para Catanduva para terminar o ensino médio por meio do sistema de Educação de Jovens e Adultos (EJA) em 2014, aos 59 anos.

“Nunca faltei um dia sequer das aulas. Uma vez eu machuquei o pé, difícil para andar, mas não tinha problema. Fui com o pé doendo, cansada. Muito dedicada, sempre firme”, disse orgulhosa.


Allice Serafim e seus colegas de classe na faculdade de Engenharia. (Foto: Arquivo Pessoal)

Antes de ingressar na faculdade, Allice fez aulas de violão, informática básica, contabilidade e até de como falar em público. Ela recuperou o tempo perdido sem carregar mágoas do pai. “Era diferente naquela época, não temos que acusar os pais”.

Allice começou a faculdade em 2018 e já está no quarto semestre do curso. Ela é querida pelos jovens alunos e vista como destaque pelos professores.

“Ela sente muita dificuldade, o que é normal pela idade, mas ela tem muita garra, é muito dedicada”, disse o coordenador do curso, Nilton Romero. “Já tive outros alunos mais velhos que eu, mas a Dona Allice se destacou entre todos pela garra, ela não desiste, muito pelo contrário, ela quem anima a gente”.

O sonho de Allice não se limita apenas à sala de aula — a futura engenheira sonha em trabalhar na área. “Ainda tenho fé que vou trabalhar. Mas se não der certo, tudo bem. A minha vontade é de estudar e ajudar as pessoas e fazer o bem”, afirma.

veja também