Judeu reconhece Jesus após ler o Sermão da Montanha: “Esse é o meu Messias”

Depois de ver cristãos testemunhando sua fé em público, John Desser se sentiu movido a ler a Bíblia.

fonte: Guiame, com informações do God Reports

Atualizado: Quarta-feira, 10 Abril de 2019 as 5:53

John Desser se sentiu movido a ler a Bíblia após ver cristãos testemunhando sua fé. (Foto: I Found Shalom)
John Desser se sentiu movido a ler a Bíblia após ver cristãos testemunhando sua fé. (Foto: I Found Shalom)

John Desser cresceu em uma família judaica secular nos Estados Unidos, que não seguia as tradições religiosas e não frequentava a sinagoga para o ensino da Torá (cinco primeiros livros da Bíblia).

Quando terminou a faculdade, John se mudou para Washington D.C. e passou a trabalhar no gabinete do senador John McCain. Foi lá que ele teve um contato mais próximo com a fé — algo tão distante em sua criação.

John foi convidado para participar do Café do Dia Nacional de Oração, um evento hospedado anualmente por membros do congresso americano. Ele se interessou ao saber que um dos oradores era o ex-secretário de Estado dos EUA, James Baker.

“Baker se levantou na frente de 3.000 pessoas e disse: ‘É muito legal ser Secretário de Estado da nação mais rica do mundo, ser chefe da equipe do homem mais poderoso do mundo e representar o país mais influente do mundo. Mas o que realmente me anima é Jesus”, lembra John.

“Ele acabou de dizer: ‘Jesus?’”, pensou ele na época.

No mesmo evento, Mstislav Rostropovich, um dos maiores violoncelistas de todos os tempos, também fez uma declaração sobre o Filho de Deus. “É muito legal ser o violoncelista mais famoso do mundo. Mas o que é realmente interessante para mim é Jesus”.

John voltou a se questionar: “Ele também? Talvez ele seja judeu! Por que ele estaria falando de Jesus?”.

Curioso sobre a motivação daquelas personalidades, John decidiu ler a Bíblia, um capítulo por dia, começando em Gênesis. Seu entendimento sobre Jesus se completou quando ele leu o Sermão da Montanha, no Evangelho de Mateus e Lucas.

“Esse é o meu Messias!”, exclamou, entregando sua vida a Jesus. “Eu não sei o que todos esses cristãos estão fazendo seguindo Ele, mas esse é o meu Messias!”.

Para John, uma das armas de Satanás é cegar o entendimento dos judeus com acontecimentos históricos. “O inimigo claramente não quer que os judeus saibam quem é o seu próprio Messias. Então ele nos oprime com pensamentos de traição, como se estivéssemos dando as costas para pessoas que foram mortas no Holocausto ou durante a Inquisição Espanhola”.

veja também