Mãe de gêmeos desiste de aborto após ver bebês em ultrassom

A jovem valorizou a lei antiaborto vigente no Texas e disse que ter seus filhos é mais importante do que levar um estilo de vida diferente.

Fonte: Guiame, com informações de The Christian InstituteAtualizado: quarta-feira, 6 de julho de 2022 15:12
Ultrassonografia. (Foto representativa: Flickr)
Ultrassonografia. (Foto representativa: Flickr)

Uma adolescente nos EUA compartilhou como desitiu da ideia de fazer um aborto, após ver o ultrassom de seus gêmeos. Brooke Alexander descobriu que estava grávida dois dias antes da lei antiaborto entrar em vigor. 

A lei conhecida por “Texas Heartbeat Act”, que passou a valer a partir de 1º de setembro de 2021, no Texas, impede o aborto se o batimento cardíaco fetal for detectado. 

Conforme essa lei, é proibido abortar a partir de seis semanas, exceto em emergências médicas. A jovem de 18 anos, que buscou um ultrassom com a intenção de abortar seus filhos, disse que “escolheu a vida após ver seus gêmeos de doze semanas”. 

“Ter meus filhos é mais importante”

Brooke disse que não sabe qual seria sua situação caso a lei antiaborto não estivesse em vigor e que prefere nem pensar nisso. 

Ela originalmente planejava fazer um aborto antes que a lei do batimento cardíaco fosse promulgada, mas quando não havia consultas disponíveis, ela visitou um centro de gravidez pró-vida, onde recebeu o ultrassom.

Refletindo sobre sua decisão de escolher a vida, a jovem concluiu que ter seus filhos era mais importante do que levar um estilo de vida diferente.

‘Milhares de bebês foram salvos’

No início deste ano, foi revelado que o “Texas Heartbeat Act” salvou milhares de vidas desde setembro de 2021. 

De acordo com um relatório da Comissão de Saúde e Serviços Humanos do Texas, 2.197 bebês foram abortados em setembro, em comparação com 5.404 no mês anterior. A queda reflete uma redução de 60% no número de abortos. 

“Por mais de 150 dias, nosso trabalho salvou cerca de 100 bebês por dia. Nosso impacto está apenas começando, à medida que mais estados buscam replicar nosso sucesso”, disse Kimberlyn Schwartz, diretora de mídia e comunicação do Texas Right to Life. 

Os profissionais envolvidos na causa — médicos, enfermeiros, advogados, assistentes sociais e pastores — não só se opõem ao aborto como sugerem a adoção como forma de resolver o problema.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições