Mãe é aconselhada por médicos a abortar, mas ouve a voz de Deus: “Dele é a última palavra”

Mesmo com o risco de dar à luz um bebê com deficiência, Rosa escutou a voz de Deus e decidiu manter sua filha.

fonte: Guiame, com informações de Life Site News

Atualizado: Sexta-feira, 30 Junho de 2017 as 12:05

Rosa Perez segura no colo sua filha, Milagros, que nasceu sem as pernas. (Foto: Life Site News)
Rosa Perez segura no colo sua filha, Milagros, que nasceu sem as pernas. (Foto: Life Site News)

O período da gravidez deveria ser o mais especial da vida de Rosa Perez, até que ela ouviu dos médicos que ela deveria abortar para não dar à luz um “monstro”.

Por causa da grave condição do bebê, até mesmo o marido de Rosa a incentivou a abortar a criança, que poderia nascer sem nariz, queixo e com a ausência de alguns órgãos internos.

Rosa rejeitou todas as orientações e escolheu manter seu bebê, independentemente das consequências. “O diagnóstico de um médico não se compara ao amor e calor de um pai”, disse ela ao Life Site News.

“Deus tem a última palavra. Vale a pena manter o bebê até que Deus decida levar seu bebê”, Rosa acrescentou.

Sua filha nasceu em 2011, na Califórnia, EUA, sem as pernas e com outras deficiências. Nomeada de Milagros, a menina passou por uma série de cirurgias, mas sobreviveu a todos os procedimentos.

Apesar de sua deficiência física, Milagros é cheia de alegria. Ela concluiu o jardim de infância e irá começar seus estudos ainda este ano. “Eu a aceitei como ela é”, disse Rosa.

Rosa encontrou apoio dos voluntários da campanha “40 Dias Pela Vida”, que realiza vigílias com o propósito de orar pelas mães que pretendem abortar.

Rosa admite que cuidar de Milagros apresenta muitos desafios para sua família. “Não é fácil”, ela confessa.

Mas a inspiração que Milagros traz às pessoas a sua volta sempre trás forças. “Só de pensar nisso, me encho de alegria. Ela sempre me emociona. Quando eu vejo ela cheia de vida, eu penso: ‘Valeu a pena’”, diz a mãe.

veja também