Manifestantes usam facas e saudação a Satanás para tentar interromper culto nos EUA

Uma reunião de adoração foi cercada por manifestantes com facas e outros que gritavam ofensas e saudações a Satanás, em Seattle.

fonte: Guiame, com informações da Fox News

Atualizado: Quarta-feira, 12 Agosto de 2020 as 9:48

Homem segura placa com a frase “Salve Satanás” em meio a cristãos em Seattle. (Foto: Instagram/Sean Feucht)
Homem segura placa com a frase “Salve Satanás” em meio a cristãos em Seattle. (Foto: Instagram/Sean Feucht)

Centenas de cristãos se reuniram na segunda-feira (10) em Seattle, no estado americano de Washington, e foram confrontados por manifestantes armados com facas. De acordo com Sean Feucht, líder de louvor na Bethel Church, eles ofenderam os pastores negros presentes no local e saudaram a Satanás.

Os cristãos estavam reunidos para um momento de adoração no Cal Anderson Park, que resultou até mesmo em batismos. A reunião aconteceu ao ar livre por causa das restrições devido a Covid-19, embora a maioria não usasse máscaras ou adotasse o distanciamento social adequado.

“Manifestantes violentos apareceram apontando facas! Tivemos uma seita satânica inteira marchando em meio aos adoradores o tempo todo gritando 'salve Satanás!' Tivemos brancos da Antifa gritando e ameaçando pastores locais negros! Eles gritaram obscenidades e xingaram minha esposa e meus filhos a noite toda”, disse Feucht em um post no Instagram..

O cantor disse que havia cerca de 30 seguranças em volta dele e da banda para conter os manifestantes, que tentaram interromper o culto e quebraram a bateria e os pedais da guitarra.

“Eles destruíram os nossos geradores em certo momento... Mas apesar de tudo... Seattle nunca parou de cantar!”, Feucht conta. “A Igreja se recusou a ser intimidada e Deus continuou derramando!”

Em um vídeo gravado por um dos manifestantes, é possível ver a multidão cantando e dançando, apesar das interrupções. “Quanto mais eu grito com eles, mais eles se divertem”, disse alguém na gravação. “Isso é ridículo”.

Uma foto mostra um homem com roupas pretas, cobrindo o rosto, segurando uma placa que dizia: “Salve Satanás”. Ele parecia estar sozinho e um grupo de adoradores se aproximou dele para conversar.

Outras imagens compartilhadas por Feucht mostram multidões, incluindo crianças, sorrindo com os braços levantados ou cabeça curvadas em oração.


Cristãos se reuniram para adoração em parque público de Seattle. (Foto: Instagram/Sean Feucht)

“O tempo para um cristianismo corajoso é este. Sem recuar ou fugir para os bairros. Jesus está vindo para as partes mais difíceis das nossas cidades e Ele anseia por louvor, amor e salvação enchendo as ruas”, escreveu Feucht.

Depois da morte de George Floyd em Minneapolis, os manifestantes declararam uma zona autônoma em seis quarteirões da cidade de Seattle, que incluía uma delegacia de polícia abandonada. Os manifestantes do Black Lives Matter montaram um acampamento e pediram que as autoridades da cidade deixasse de financiar a polícia. 

Após semanas de crimes e tiroteios em Seattle, a polícia conseguiu desmontar as barreiras construídas ao redor da zona autônoma e recuperou a delegacia, fazendo dezenas de prisões.

Feucht realizou outro culto, chamado “Riot to Revival” (“Manifestação para o Avivamento”, em tradução livre) em Portland no sábado (8), com milhares de fiéis presentes. Ele organizou protestos semelhantes na Califórnia para encorajar os cristãos a se envolverem mais na política e a lutar contra o “duplo padrão” visto nas restrições ao coronavírus, que limitam igrejas enquanto flexibilizam outros estabelecimentos.


O cantor Sean Feucht liderou o louvor em parque público de Seattle. (Foto: Instagram/Sean Feucht)

veja também