Médico pode perder emprego por falar sobre Deus aos pacientes

O Dr. Richard Scott pode ser punido pelo Conselho Geral de Medicina (GMC) do Reino Unido por falar sobre sua fé aos pacientes.

fonte: Guiame, com informações do The Telegraph

Atualizado: Terça-feira, 25 Junho de 2019 as 9:29

O Dr. Richard Scott está sendo investigado por envolver sua fé cristã nas consultas com pacientes. (Foto: Will Wintercross)
O Dr. Richard Scott está sendo investigado por envolver sua fé cristã nas consultas com pacientes. (Foto: Will Wintercross)

Um médico está sendo investigado por órgãos de medicina da Inglaterra e corre o risco de ser afastado por falar sobre o cristianismo durante as consultas com seus pacientes.

O Dr. Richard Scott, de 58 anos, “envolveu um ângulo espiritual” para pacientes com depressão, ansiedade e outros distúrbios nas últimas duas décadas, informou o jornal britânico Sunday Times.

Depois de reclamações feitas por um paciente, o médico pode enfrentar medidas disciplinares pelo Conselho Geral de Medicina (GMC) do Reino Unido e perder o emprego. Ele também está sendo investigado pelo NHS Inglaterra, órgão do Departamento de Saúde e Assistência Social. 

A Sociedade Secular Nacional (NSS), uma organização que promove o secularismo e a separação entre Igreja e Estado, reclamou para o GMC em maio que um paciente “altamente vulnerável” sentiu “desconforto com o uso da oração”.

Steven Evans, chefe-executivo do NSS, disse que as alegações foram feitas por um conhecido do paciente.

O Dr. Scott, que atua no Centro Médico Bethesda em Margate, cidade litorânea de Kent, cuida de quase 20 mil pacientes. Em seu site, a clínica afirma que a maioria de seus parceiros são cristãos e que “sua fé orienta a maneira pela qual eles vêem seu trabalho e responsabilidades para com pacientes e funcionários”.

Scott afirma que ficou chocado com o fato de que sua capacidade para praticar consultas médicas foi questionada pelo GMC em oposição a “uma conversa ou discussão leve”. 

“Eles estão cedendo ao secularismo agressivo”, disse ele ao jornal. “Eles estão lá para garantir segurança pública, mas eles de repente transformaram isso em um grande caso”.

O médico acrescentou que ele pede permissão a seus pacientes para introduzir elementos de fé em sua consulta e só faz isso no final, “após aplicar a medicina ocidental padrão”.

Não é a primeira vez  que o Dr. Scott é investigado por falar aos pacientes sobre sua fé. Em 2012, ele recebeu uma advertência oficial do GMC depois de falar sobre os benefícios da fé cristã para um paciente durante uma consulta. Desde então, ele recebeu três queixas informais e uma pequena queixa por escrito.

“O NSS está obviamente atirando contra mim — e gostariam que eu perdesse meu emprego porque eles não gostam de mim. Bem, para ser sincero eu não gosto deles, mas eu não estou atirando para que eles percam. Eles acham que eu sou irresponsável e perigoso e eu diria o mesmo sobre eles”, comentou o médico.

Ele reforça que seu comportamento é justificado pela Organização Mundial da Saúde, que inclui espiritualidade juntamente com o bem-estar físico e mental, acrescentando evidências científicas de que a fé beneficia a saúde.

veja também