Menina recebe rim de irmã adotiva em compatibilidade milagrosa

Com defeitos congênitos e rim deficitário, possibilidade de encontrar doador compatível era “1 em 100 mil”

fonte: Guiame, com informações do BP News

Atualizado: Segunda-feira, 11 Março de 2019 as 4:04

Avery Brekle junto com sua doadora, a irmã Sara adotiva (à esquerda) e em seu quarto se recuperando do transplante (Foto: Reprodução/Facebook/BPress)
Avery Brekle junto com sua doadora, a irmã Sara adotiva (à esquerda) e em seu quarto se recuperando do transplante (Foto: Reprodução/Facebook/BPress)

Avery Brekle tem 9 anos e nasceu com Síndrome de VATer, um termo usado quando uma criança é diagnosticada com defeitos congênitos em três ou mais partes do corpo. Ela tem discos extras nas costas, um músculo ausente no olho, articulações extras nos dedos e muitas artérias ausentes.

Filha adotiva de Milton e Cindy Brekle, a menina também nasceu sem bexiga e com apenas um rim de baixo funcionamento, o que a levou a precisar um transplante do órgão.

Para o casal Brekle, sua filha Avery foi agraciada com um milagre ao receber o rim de sua irmã, Sara, que foi a primeira criança adotada por Miton e Cindy Brekle.

Quando a família soube da necessidade desesperada de Avery por um rim, vários membros se apresentaram oferecendo doações.

Entre eles estava Sara, a primeira criança adotiva dos Brekles, agora uma adulta com sua própria família.

Testes extensivos revelaram que Deus estava novamente no trabalho - não só Sara era uma partida, ela era uma “combinação perfeita”.

Os médicos disseram que ela não poderia ter sido melhor se fosse uma gêmea idêntica, o que mais uma vez confirmou a Cindy que “era o plano de Deus para nós sermos pais adotivos. Ele nos mandou nossa primeira para salvar nossa última”.

Avery Brekle e sua irmã adotiva e doadora Sara (Foto: Reprodução/Facebook)

Uma jornada de amor

Os Brekles são pais adotivos há 16 anos. Durante esse tempo, eles criaram nove crianças e mais de 100 por um período.

A jornada de pais adotivos do casal começou com seu amor pelas crianças e seu desejo de reunir grupos de irmãos separados enquanto estavam no sistema de assistência social.

No entanto, com seu primeiro grupo de filhos adotivos, um grupo de três irmãos, Cindy e Milton aprenderam rapidamente que, muitas vezes, a reunificação não é possível.

Ao saber do término dos direitos parentais dos pais das crianças, os Brekles decidiram adotar o trio para que os filhos não fossem separados.

Mais quatro crianças colocadas no cuidado dos Brekles acabariam sendo adotadas na família, incluindo Avery.

Ao longo de sua jornada, o desejo dos Brekle foi fazer as crianças se sentirem amadas e desejadas. Cindy Brekle disse que os desafios e os triunfos do cuidado adotivo lhes ensinaram que “além da sombra da dúvida” que tudo era o plano de Deus, não o deles.

Eles contam que ao longo de 16 anos de dedicação, houve muitos altos e baixos. Milton e Cindy enfrentaram seus próprios problemas médicos. Milton teve problemas cardíacos e outros problemas de saúde, enquanto Cindy lutou contra o câncer duas vezes. Ela está agora em remissão.

Os problemas de saúde da Brekle os ajudaram a conhecer melhor as necessidades das crianças sob seus cuidados. E eles treinaram para cuidar de crianças medicamente frágeis e com outras necessidades terapêuticas.

Como resultado, os Brekle criaram muitas crianças com necessidades excepcionais – comportamentais, emocionais e físicas. Mas os desafios médicos de Avery foram os mais significativos.

Família Brekle: pais e parte dos filhos adotivos em campanha pela doação de rim para Avery  (Foto: Reprodução/Facebook)


Processo demorado

Enquanto recebiam treinamento educacional sobre como cuidar de Avery no Hospital Infantil do Alabama, os Brekle foram informados de que encontrar um doador renal para Avery seria provavelmente um processo demorado.

As chances de encontrar uma “correspondência exata” de um doador não relativo eram de cerca de 1 em 100 mil.

O prognóstico de Avery era ruim, eles disseram.Quando a família soube da necessidade desesperada de Avery por um rim, vários membros se apresentaram oferecendo doações.

Entre eles estava Sara, a primeira criança adotiva dos Brekles, agora uma adulta com sua própria família.

Testes extensivos revelaram que Deus estava novamente no trabalho - não só Sara era uma partida, ela era uma "combinação perfeita".

Os médicos disseram que ela não poderia ter sido melhor se fosse uma gêmea idêntica, o que mais uma vez confirmou a Cindy que "era o plano de Deus para nós sermos pais adotivos. Ele nos mandou nosso primeiro para salvar nosso último".

Confiando em Deus

Jeff Fuller, pastor da Igreja Batista de Rockford, disse que tem sido “incrível como tudo aconteceu” nas circunstâncias dos Brekle. FOi ele quem batizou Avery.

As cirurgias das irmãs ocorreram no dia 14 de fevereiro. A cirurgia de Avery foi no Hospital Infantil e a de Sara no Hospital da UAB. Ambos estão em casa e indo bem. Avery está se recuperando e vai esperar um tempo para fazer outra cirurgia, agora para a reconstrução da bexiga.

Mas, como sempre, os Brekle estão confiando em Deus para os próximos passos. “Não há fim para nossas bênçãos, por isso louvamos o Senhor”, disse Cindy Brekle.

veja também