“Minha carreira toda foi baseada na fé que tenho em Deus", diz goleiro do Cruzeiro

O goleiro Fábio, do Cruzeiro, disse que se apoia em Deus durante as fases difíceis da carreira.

fonte: Guiame, com informações do Superesportes

Atualizado: Sexta-feira, 6 Dezembro de 2019 as 1:40

O goleiro Fábio, do Cruzeiro, credita sua carreira a Deus. (Foto: Dudu Macedo/Fotoarena/Veja)
O goleiro Fábio, do Cruzeiro, credita sua carreira a Deus. (Foto: Dudu Macedo/Fotoarena/Veja)

Fábio, um dos líderes do elenco do Cruzeiro, costuma olhar sua carreira pela perspectiva da fé. Embora o clube esteja na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, ele se apoia na “provisão” de Deus.

“Minha carreira toda foi baseada na fé que tenho em Deus e, enquanto tiver possibilidade, eu tenho fé que Deus vai fazer o sobrenatural. Na hora que Ele determina, as coisas acontecem”, disse o goleiro, segundo o site Superesportes.

Depois de perder por 2 a 0 para o Grêmio, em Porto Alegre, o Cruzeiro terá de vencer o Palmeiras na última rodada e contar com uma vitória do Botafogo sobre o Ceará para permanecer na Série A em 2020. Fábio reconhece que a tarefa é difícil, mas deposita sua confiança em Deus.

“Independente de ser difícil, a gente não conseguir vencer para depender dos nossos resultados, mas o Deus que eu sirvo é dessa forma. Quando a gente fica totalmente dependente só Dele, quando as pessoas acham que também é o fim, é onde Ele entra com a provisão. E vou continuar trabalhando, com fé, com apoio do torcedor, que com certeza vai estar no Mineirão, empurrando, incentivando, acreditando da mesma forma”, declarou.

“Tudo provém de Deus. É a base, é o alicerce. Basta os jogadores entenderem que o que trouxe eles até o Cruzeiro foi um dom que Deus deu a cada um. E independentemente das adversidades, das dificuldades, é a hora que a gente tem que fazer o que é natural, o dom que a gente tem de jogar futebol, de lutar, de guerrear, e mostrar dentro de campo que a gente é merecedor desse tom de jogar futebol”, acrescentou o goleiro.

Fábio observa que alguns jogadores menos experientes têm sido afetados pela pressão por vitórias, mas destacou sua fé por mudanças. 

“A pressão é muito grande, e não é fácil envergar uma camisa vitoriosa como a do Cruzeiro. Os jogadores estão sentindo esse peso, coisas simples de se fazer dentro de campo, o beabá do futebol, dominar e passar. A gente, na grande maioria das vezes, está escolhendo a pior opção e acaba fazendo uma jogada mais difícil do que é necessário. Isso aí é nítido, essa pressão que existe. Mas a gente vai continuar lutando, se dedicando. E o mais importante, com fé em Deus”, disse o cruzeirense. 

“Em nome de Jesus as coisas vão acontecer da forma que vai nos favorecer mais uma vez, tanto no nosso jogo contra o Palmeiras quanto no resultado do Botafogo”, concluiu Fábio.

veja também