“Minha fé é o que tenho de mais importante na vida”, diz jogador do Newcastle

Christian Atsu, que frequenta a Hillsong, faz questão de permanecer perto de suas raízes em Gana e de ajudar crianças carentes.

fonte: Guiame, com informações do Guardian

Atualizado: Quarta-feira, 27 Fevereiro de 2019 as 9:56

Christian Atsu, meio-campista do Newcastle, da Inglaterra. (Foto: Reprodução/Getty)
Christian Atsu, meio-campista do Newcastle, da Inglaterra. (Foto: Reprodução/Getty)

Christian Atsu fez uma jornada transformadora, trocando sua vida em Gana por uma nova possibilidade em Tyneside, na Inglaterra. Ele foi criado entre seis irmãos, sem a presença do falecido pai, e viviam de pesca e agricultura na junção do Rio Volta e do Oceano Atlântico.

O jogador do time inglês Newcastle conta que quase tudo mudou em sua vida, exceto sua fé cristã. Christian Atsu diz que a igreja foi uma parte central de sua infância e permanece. Ele participa da famosa Igreja Hillsong.

Christian Atsu se diz um homem feliz e abençoado. “Estou muito feliz na Hillsong e muito feliz no Newcastle. O futebol mudou minha vida completamente; o que aconteceu comigo foi um milagre, e me permitiu ajudar minha comunidade e minha família”, afirma.

“Minha fé é a coisa mais importante da minha vida. Eu sei que sou uma pessoa abençoada por Deus. Tenho o privilégio de estar nessa posição. Eu não tinha nada e agora tenho muito, então preciso devolver aos outros”, diz.

Estrela africana

O meio-campista da equipe de Rafael Benítez é uma estrela indiscutível em todo o seu continente. Depois de ganhar o torneio na Copa das Nações Africanas de 2015, na Guiné Equatorial, Christian Atsu ganhou proeminência por ajudar a promover a “Arms Around the Child”, instituição de caridade onde o jogador é embaixador.

Com sede em Gana, na África do Sul e na Índia, a instituição fornece proteção, educação e apoio para crianças órfãs, abusadas, afetadas pelo HIV/Aids, traficadas, vendidas ou que moram em lares chefiados por outras crianças.

“Eu doo com frequência, para que eles possam comprar comida e outras coisas”, diz Atsu, que se lembra claramente de sua infância pobre em Gana, quando dividia um quarto apertado com sua mãe, a irmã gêmea – que agora é enfermeira – e quatro outros irmãos.

Christian conta que no momento estão construindo uma escola em Gana. “Cerca de 300 crianças vão participar, quero que todos tenham a chance de estudar”, justifica.

Ele mesmo se beneficiou de uma excelente educação oferecida pela academia africana do Feyenoord, em Accra, e sabe quanto isso é fundamental na vida de uma pessoa.

“Eu sobrevivi e não me esqueço”, lembra o jogador de 27 anos, cuja educação o equipou para o choque cultural de se mudar para o Porto, em Portugal, na adolescência, antes de ir para o Chelsea, na Inglaterra.

Vida na Inglaterra

Depois do Chelsea, Christian Atsu foi para o Newcastle. Hoje vive com sua esposa e seus dois filhos pequenos em uma cidade com o fácil acesso às magníficas praias de Northumberland – a única desvantagem é que as temperaturas tendem a ser consideravelmente mais frias do que as de Ada Foah, onde foi criado.

Sentado em uma sala aquecida no campo de treinamento do Newcastle, Christian Atsu também fala de seu bom relacionamento com o técnico Rafael Benítez.

“Rafa é como um pai para mim. Ele me encoraja quase todos os dias. Taticamente é muito detalhista, mas ele não se aprende apenas em táticas e coaching. Ele é muito bom no relacionamento humano, que é tão importante”, conta.

“Se você tiver um problema, pode falar com ele, pode falar com ele sobre qualquer coisa. Ele continua animando todos a treinar todos os dias; ele te ensina como ser um profissional dentro e fora do campo”, diz o jogador, que espera que seu treinador continue no clube, já que seu contrato termina em maio.

“É muito importante que Rafa fique. O Newcastle é um grande clube e o Rafa é um excelente treinador, um dos melhores do mundo, um dos poucos que conquistou a Liga dos Campeões”, elogia.

Copa das Nações Africanas

Neste verão, Christian Atsu irá jogar na Copa das Nações Africanas, que será no Egito.  Ele diz estar ansioso para embarcar para o Cairo, mas também entristecido por saber que a população cristã copta do Egito, que já foi forte, está encolhendo em face da hostilidade e dos ataques terroristas de extremistas islâmicos.

“Algumas pessoas estão interpretando mal o corão”, acredita o jogador. “Todas as religiões têm a mesma ideia sobre amar o próximo, mas o que está acontecendo mostra por que é tão importante educar nossos filhos adequadamente. Nós temos que ensiná-los que todo mundo tem que ficar junto e ser uma comunidade”, critica.

Recentemente, Christian Atsu conseguiu reunir várias famílias empobrecidas em Gana, depois de pagar milhares de libras em multas para libertar pessoas acusadas ​​de pequenos delitos, como roubar algo para comer.

Um exemplo disso, é uma avó de 62 anos e sua filha, que foram libertadas depois de serem presas por roubar um pouco de milho para alimentar sua família. Essa história ilustra os tipos de casos resolvidos, discretamente, pelo jogador.

Christian Atsu pode ter “sobrevivido” e escapado da dura vida que levava em seu país, mas conta que em sua jornada, de Ada Foah a Hillsong, nunca houve um único momento em que ele se esqueceu daqueles que “deixou em casa”.

veja também