Mulher resgata 31 órfãos da Ucrânia: ‘Eles precisam desesperadamente de ajuda’

Assim que a guerra na Ucrânia estourou, Wendy Farrell, que tem um trabalho com crianças ucranianas órfãs, viajou para apoiá-las.

Fonte: Guiame, com informações da CBN NewsAtualizado: quarta-feira, 23 de março de 2022 14:02
Wendy Farrell resgatou 31 crianças na Ucrânia. (Captura de tela: CBN News)
Wendy Farrell resgatou 31 crianças na Ucrânia. (Captura de tela: CBN News)

Mãe de cinco filhas, incluindo uma criança adotada na Ucrânia, há oito anos, Wendy Farrell, do Missouri (EUA) resgatou 31 órfãos ucranianos quando a guerra estourou no país do leste europeu.

Wendy e o marido têm parceria com um orfanato no oeste da Ucrânia há anos. Ela contou à CBN News que, graças a alguns ônibus que compraram para o orfanato, 31 crianças de 2 a 17 anos e cinco cuidadores conseguiram fugir para Cracóvia, na Polônia. 

A mulher americana conta que sua missão é levar os órfãos em segurança para os EUA até a guerra acabar. O único problema é que eles estão sendo informados de que pode ser julho antes que seus vistos sejam aprovados para viajar. 

"Precisamos de vistos para 30 crianças e três cuidadores. Nosso orfanato no oeste da Ucrânia, no momento, permanece intacto. No geral, nossos filhos estão indo muito bem. Eles estão seguros e com cuidadores que os amam profundamente. Eles estão assustados e preocupados. Mas saiba que cuidaremos deles e continuaremos a mantê-los seguros", disse Farrell.

'Precisamos desesperadamente de ajuda'

Segundo Farrell, mesmo estando alojadas em um dormitório na Polônia, as crianças estão ansiosas para serem acomodadas.

"Precisamos desesperadamente de assistência para acelerar o processo de visto. O consulado em Cracóvia está com poucos funcionários e está apenas agilizando vistos de negócios. Acreditamos que os EUA precisam enviar reforços e priorizar vistos para os mais vulneráveis ​​primeiro", disse Farrell.

"Ficamos surpresos com a ética de trabalho do consulado ucraniano. Eles estão trabalhando 24 horas por dia para processar a papelada para os ucranianos. Nosso consulado não tem horários disponíveis até julho e não está fazendo nada para ajudar os dois milhões de refugiados aqui na Polônia", disse ela.

Wendy se diz grata ao povo polonês por acolhedor seus vizinhos ucranianos. "Eles se lembram muito bem dos eventos da Segunda Guerra Mundial aqui na Polônia e estão tristes ao ver o que está acontecendo na Ucrânia. Mas eles estão preocupados com a longevidade desta crise e com o fardo que hospedar tantos refugiados causará. Os EUA têm recursos abundantes e deve tirar um pouco do fardo da Polônia e de outros países europeus. O apoio aqui na Polônia é insustentável", disse ela. 

Wendy diz que ficará com esses órfãos o tempo que for necessário para colocá-los em segurança. "Eu não vou deixá-los. Eu tenho cinco filhas em casa que precisam de mim, mas meus filhos aqui também precisam de mim e eu sou sua defensora e apoio", disse ela.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições