‘O espírito do Anticristo opera no Putin’, declara líder ortodoxo ucraniano

O primaz da Igreja Ortodoxa da Ucrânia comparou o presidente russo ao Hitler e criticou a denominação russa.

Fonte: Guiame, com informações do Religion News ServiceAtualizado: terça-feira, 1 de março de 2022 12:12
Epifânio I, primaz da Igreja Ortodoxa da Ucrânia. (Foto: Facebook/Epifânio Metropolitano)
Epifânio I, primaz da Igreja Ortodoxa da Ucrânia. (Foto: Facebook/Epifânio Metropolitano)

Epifânio I, primaz da Igreja Ortodoxa da Ucrânia, comparou o presidente russo Vladimir Putin ao Anticristo e fez uma crítica ao chefe da Igreja Ortodoxa Russa em discurso no domingo (27).

“O espírito do Anticristo opera no líder da Rússia, cujos sinais as Escrituras nos revelam: orgulho, devoção ao mal, crueldade, falsa religiosidade”, disse Epifânio, segundo o site da Igreja Ortodoxa da Ucrânia. “Este foi Hitler durante a Segunda Guerra Mundial. Isso é o que Putin se tornou hoje.”

Epifânio, que é metropolita de Kiev e de Toda a Ucrânia, elogiou as “pessoas heróicas” de seu país que estão se defendendo dos ataques da Rússia. “Cada hora de nossa resistência inspira mais e mais pessoas ao redor do mundo a apoiar a Ucrânia”, afirmou.

A declaração do líder ucraniano é reflexo de uma divisão dentro da Igreja Ortodoxa que começou em 2018, quando muitos cristãos ortodoxos da Ucrânia declararam independência do Patriarcado Ortodoxo na Rússia — um movimento que os líderes ortodoxos russos rejeitaram. 

Mas a Igreja Católica Apostólica Ortodoxa em Constantinopla, liderada pelo patriarca grego Bartolomeu I, reconheceu o corpo ucraniano, tornando a Ucrânia o lar de pelo menos dois grupos cristãos ortodoxos diferentes — um baseado em Moscou e o outro em Kiev.

A divisão complicou os interesses políticos russos na Ucrânia, já que o Kremlin fez parceria com a Igreja Ortodoxa Russa para ajudar a exercer poder no país e no exterior. 

Antes da separação de 2018, hackers ligados ao Kremlin teriam supostamente acessado as contas de e-mail dos assessores de Bartolomeu I.

Mas Epifânio argumentou no domingo que o ataque da Rússia à Ucrânia pode estar mudando a mente dos fiéis russos. “Muitos hierarcas, padres e leigos do Patriarcado de Moscou já estão se perguntando sobre seu futuro, que eles não associam com o desacreditado Patriarca Kirill.”

Kirill (em português Cirilo I) é patriarca de Moscou e de toda a Rússia e primaz da Igreja Ortodoxa Russa. No domingo, ele também se pronunciou a respeito dos atuais conflitos, chamando os oponentes da Rússia na Ucrânia de “forças do mal”.


Patriarca Kirill em Sínodo da Igreja Ortodoxa Russa em 2020. (Foto: Serviço de Imprensa do Patriarca de Moscou e de Toda a Rússia)

“Que Deus nos livre que a atual situação política na fraternal Ucrânia, tão próxima de nós, tenha como objetivo fazer com que as forças do mal, que sempre lutaram contra a unidade da Rússia e da Igreja Russa, ganhem vantagem”, disse Kirill no site do Departamento de Relações Externas da Igreja Ortodoxa Russa.

O patriarca também reforçou a ideia de que a Rússia, Bielorrússia e Ucrânia compartilham um vínculo cultural comum e fazem parte da “terra russa”.

“Que o Senhor preserve a terra russa”, disse ele. “Quando digo 'russa', uso a antiga expressão da ‘Crônica dos Anos Passados - De onde veio a terra russa’, a terra que agora inclui Rússia, Ucrânia, Bielorrússia e outras tribos e povos.”

Embora esta mesma retórica seja utilizada como justificativa de Putin para os ataques à Ucrânia, muitos ucranianos rejeitam este argumento histórico. Entre os críticos está o arcebispo Daniel, chefe da Igreja Ortodoxa Ucraniana dos EUA, que refutou o que descreveu como a “lição de história” do Kirill.

“Você não pode reescrever a história, ucranianos e russos”, disse Daniel ao Religion News Service na semana passada. “Não estou sendo divisivo aqui, mas não compartilhamos a mesma história… Dizer que compartilhamos a mesma origem étnica e o que você tem – acho que é um erro. É uma afirmação incorreta. E eu gostaria que os líderes religiosos corrigissem essa terminologia (que Kirill está) utilizando.”

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições