Papa sugere 'salário mínimo global' para trabalhadores prejudicados pelo coronavírus

Em carta aos Movimentos Populares Mundiais, o Papa Francisco propôs um salário mínimo universal para conter os danos econômicos em meio à pandemia.

fonte: Guiame, com informações do Vatican News e France 24

Atualizado: Terça-feira, 14 Abril de 2020 as 10:51

Papa sugere salário mínimo universal por causa do Covid-19. (Foto: Reuters)
Papa sugere salário mínimo universal por causa do Covid-19. (Foto: Reuters)

O Papa Francisco sugeriu um “salário mínimo universal” para trabalhadores que perderam a renda em meio à pandemia de Covid-19. A proposta foi feita em uma carta direcionada aos Movimentos Populares Mundiais no domingo de Páscoa (12).

O chefe da Igreja Católica Romana observou que o isolamento social devido ao coronavírus está colocando milhões de empregos em risco e minando economias ao redor do mundo. Ele reconhece ainda que é difícil para quem vive na pobreza e para os sem-teto “ficar em casa”.

“Muitos de vocês vivem dia a dia, sem qualquer tipo de garantia legal para protegê-los. Vendedores ambulantes, recicladores, pequenos agricultores, trabalhadores da construção civil, costureiras e diferentes tipos de prestadores de cuidados: você que é informal, trabalha por conta própria ou na economia de base, não tem renda estável para passar por esse momento difícil”, disse Francisco.

O Papa observou que “os bloqueios estão se tornando insuportáveis” para indivíduos de baixa renda e expressou apoio a um salário mínimo global fornecido pelos governos ao redor do mundo a todos os cidadãos.

“Pode ser o momento de considerar um salário mínimo universal que reconheça e dignifique as nobres tarefas essenciais que vocês realiza”, propõe. “Isso garantiria e alcançaria a situação ideal, ao mesmo tempo humana e cristã, de não haver nenhum trabalhador sem direitos”.

Para encerrar, ele disse aos representantes dos movimentos sociais que “se firmassem em sua luta e se cuidassem como irmãos e irmãs”.

“Eu rezo por vocês, eu rezo com vocês. Quero pedir a Deus, nosso Pai, que os abençoe, os encha de amor e os defenda neste caminho, dando-lhes a força que nos mantém em pé e que nunca desilude: a esperança”, concluiu Francisco.

Mensagem às nações

No domingo de Páscoa, o Papa Francisco reforçou um pedido de ajuda global no combate ao coronavírus e suas consequências econômicas, sugerindo o relaxamento das sanções internacionais, o alívio da dívida das nações pobres e o cessar-fogo em todos os conflitos.

Ele condenou a fabricação de armas e disse que a pandemia deve estimular os líderes a finalmente acabar com guerras de longa duração, como a da Síria. Ele também pediu ajuda a migrantes e outras pessoas que sofrem com os atuais conflitos humanitários.

O papa também alertou a União Europeia, dizendo que a Europa corre risco de colapso se não concordar em se unir para recuperar a região.

A mensagem de Páscoa do papa, transmitida ao vivo da Basílica de São Pedro vazia, foi a mais política desde sua eleição em 2013.

Os países da União Europeia estão divididos sobre como ajudar a economia do continente a se recuperar — com a Itália e outros membros da zona do euro buscando a emissão de títulos apoiados por todos, mas a Alemanha, a Holanda e outros países se opõem a isso.

“Atualmente, a União Europeia está enfrentando um desafio histórico, do qual dependerá não apenas seu futuro, mas o de todo o mundo”, afirmou Francisco.

veja também